quinta-feira, fevereiro 28

Momento: Coisinhas bestas que a gente recebe por e-mail

Uma das maneiras mais manjadas de desencalhar um CD é fazer um dueto com algum artista em evidência: Alexandre Pires e Gloria Estefan, Angélica e Gilberto Gil, Vinny e Tiazinha... Quem serão as próximas vítimas (além dos ouvintes, é claro)?

Xuxa e Racionais MCs
"Cinco maninhos foram passear,
além da muralha para brincar.
A polícia chegou: rá-tá-tá-tá.
E só quatro maninhos voltaram de lá "

Rodney Dy com Planet Hemp
"Curalize já! Curalize já!
Uma pamonha natural não pode te prejudicar
Curalize já! Curalize já!
Uma pamonha natural não pode te prejudicar "

Marisa Monte e Tiririca
"Florentina, I Love You
Florentina, I Love You
Florentina, I Love You
Florentina, I Love You "

Marcus Vianna e É o Tchan
"Someeeeeeeente por amor...
A gente põe a mão
No joelho e dá uma abaixadinha "

Ronnie Von e Bruno & Marrone
"Seu guarda, eu não sou vagabundo
Eu não sou delinqüente
Sou um cara carente
Eu dormi na mesma praça
No mesmo banco
Nas mesmas flores
No mesmo jardim "

Lula e Os Smurfs
"Lula-Lá-Lá-Lá-Lá-Lá-Lá-Lá-Lá-Lá "

Eliana e Paulo Henrique Amorim
"Indicadores, indicadores
Onde estão? Aqui estão!
Ouro, juros, dólar
Ouro, juros, dólar
Inflação, inflação"

Tom, Vinícius e Bonde do Tigrão
"Olha que coisa tchutchuca
Mais bem preparada
É a popozuda
Que vem e que passa
O seu popozão
Eu vou martelar "
Quando eu comecei a escrever meu humilde bloguezinho, tinha que dizer alguma coisa todo dia. E tinha acessos de culpa quando não o fazia. Hoje não mais. Não preciso vir aqui pra deixar uma mensagem do tipo "hj eu não fiz nada", só para ter um post correspondente à quinta feira, 28 de fevereiro. Mas, mesmo não precisando, eu ainda faço isso. E hj foi um desses dias nada.
Só o que me dá peso de consciência, ainda, é matar aula pra ficar dormindo em casa. Fiz a burrada de vir almoçar em casa e deu no que deu: sono profundo aqui e aula de Álgebra lá. Tamanha foi minha culpa que, no meu sonho vespertino, meu professor de Álgebra se transformava num super psicopata que tentava cortar minha cabeça.
Juro que acordei assustada.

terça-feira, fevereiro 26

Já que está todo mundo postando, eu também vou copiar. Mesmo pq eu acho as frases simplesmente hilárias, principalmente aquelas com algum fundo (?) físico.:

"Se o átomo fosse do tamanho de uma bola de futebol e seu núcleo estivesse no Cristo Redentor, os elétrons estariam em órbita em Salvador. Por isso somos formados por espaços vazios."
Ricardo Macchi, em mais um axioma da filosofia do cigano doido.

"Lulo, você deveria sair hoje, mas como a diferença não foi muito grande _70% para você e 30% para a Mariana_ você fica."
Silvio Santos, justificando com assombrosa matemática, porque o eliminado continua no programa

"Ai, que lindo! Ele parece muito com você, os olhos... Até de olho fechado dá pra perceber!"
Tiazinha, ao ver foto do filho de André Gonçalves e Myriam Rios, de dois meses, dormindo

"Todo mundo vai colaborar, senão vai ter porrada. É democracia."
Ricardo Macchi, sobre a necessidade de todos limparem a casa

"Quando for pra gente tomar banho junto deixa que eu convido."
Ellen Rocche, dando um objetivo "fora" no insistente Lulo

"Isso aqui parece o 'The Turman Show', conhece?"
De Ricardo Macchi, uma mistura de Tiazinha com Marco Mastronelli, errando o nome do filme "The Truman Show", com Jim Carrey

"Gente velha sempre tem problemas. Imagina... ficar trancada numa casa! Eles queriam gente jovem, bonita e saudável."
De Tiazinha, aparentemente ironizando um convite que teria sido feito à "idosa" Narcisa Tamborindeguy para a "Casa 2"

"Recebi algumas críticas pois ainda não tinha intimidade com a televisão. Além do mais, logo veio a crise econômica e... "
Outra do cigano Igor, tentando justificar porque não fez sucesso em sua estréia como ator, na Globo.

"Eu curto mais o rap por causa da musicalidade... É do caramba!"
André Gonçalves

"Chitãozinho e Xororó!"
De André Gonçalves, respondendo de bate-pronto quem são os pais de Sandy e Junior (é ótima!)

"Sabe aquele negócio de o Superman dar a volta no mundo e o tempo voltar? Pois é, aquilo é Einstein!"
Do genial Ricardo Macchi, filosofando

"Eu estou sendo sincero com você. Eu sou tão sincero que às vezes parece brincadeira."
Lulo, passando cantada patética em Ellen Rocche

"Eu tenho certeza que ví um Ovni, mas a Nasa abafa, fica tentando encobrir os fatos..."
Outra de Tiazinha sobre Ovnis

"Nossa, seu cabelo antes da tintura era um escândalo de lindo!"
Tiazinha, em momento de amizade e simpatia com Joana Prado

"É palhaçada! Cada dia eu tomo banho com um homem diferente!"
De Joana Prado, ironizando seus banhos na "Casa dos Artistas 2"

"Ficar num quarto só de mulheres é tortura."
Do cantor Mario Velloso, lamentando a situação

"Deus está bravo."
Tiazinha, explicando a todos porque chovia

"Eu me olhei no espelho e acho que estou um bujão (sic)"
Joana Prado, em momento de auto-análise. Não que o colunista concorde.
Nãããão. Longe disso. Pra mim, está ótima e... certo, vou parar.

Mariana Kupfer: "As mentes desta casa são muito poluídas."
Syang: "Só as mentes?"

"Você sabia que o sol está se aproximando da Terra? Não viu como fez calor nos últimos dias?"
De Tiazinha

"Enche de água e bota pra frevê..."
Do genial Lulo, dando instruções para Ricardo Macchi fazer um bolo

"Silvio Santos: "Qual a sua idade?"
Fala Gustavo (um dos gêmeos): "23"
Silvio: E há quanto tempo você e seu irmão estão juntos?
Gustavo: Há 23, oras."

"Ai, tá todo mundo com bafo de alho".
De Mariana Kupfer, para os demais moradores da Casa 2

"Eu não dou mole pra mulher nenhuma, não, meu irmão! Só pra Nicole Kidman!"
(De Ricardo Macchi, para quem a Nicole não dá mole nenhum

"Bomba, a perna dele é só bomba! A bunda dele é só Bomba..."
De André Gonçalves ironizando o "bombado" Gustavo, e ainda insinuando que o rapaz não é bem-dotado

"Vai correndo, que desse jeito você chega a Itaquera."
Da riquinha antipática Mariana Kupfer ao ver o raper Xis na esteira

"Tudo que a gente fala Deus edita."
Adivinhem de quem é essa? Claaaaro! Da Tiazinha!

"Ai, vocês me me lembram de tomar pílula de manhã? E a noite também?"
Da Feiticeira, possivelmente com problemas de memória. Devia tomar mais Fosfosol e menos hormônios.

"Que 'pírula' ?"
De Tiazinha

"Não querem acreditar que eu vi um disco voador. Mas isso é por causa do capitalismo."
Tiazinha, à beira da piscina, insistindo que viu mesmo um Ovni

"Eu já vi disco voador também... Mas eu tava num estaaaado!"
Do rapper Xis, mostrando pra Tiazinha que ver Ovnis não é exclusividade dela

"Não é você que namorou alguma (sic) de minhas filhas? Quem foi mesmo? A Rebeca?"
De Silvio Santos, falando com o "artista" Mario Velloso

"Vamos fazer uma saudação ao Sol?"
Ela, Tiazinha

"Você tem que ter fé no seu caminho: faith no way, entende?"
(De Ricardo Macchi, que sabe tanto inglês quanto uma capivara. Sem ofender as capivaras! Sem ofender as capivaras!

"Tenho um fã-clube na internet. Tem uns 3.000 membros."
Da ingênua Ellen Rocche

"Nossa! Quaaaaanto membro!"
Mario Velloso, levando a informação para o lado da malícia

"O que é isso? Rúcula?? Espinafre?"
Feiticeira em dúvida, diante da geladeira

"Isso é brócolis."
Cintia Benini, esclarecendo a dúvida da loira

"Aqui é o público que decide quem sai. Quero dizer, eu acho."
Tiazinha

"Sai celulite, que este corpo não te pertence!"
Da Feiticeira Joana Prado, olhando para a própria perna e "exorcizando" alguma coisa que acabara de ver

"Quero ser vista aqui dentro como um ser humano."
Tiazinha; nem preciso comentar, certo?

"Aqui não vai ter jeito. Vou ficar 'limpo' uns 90 dias."
De André Gonçalves, quando alguém perguntou se ele iria sentir falta de bebidas durante a estada na "Casa dos Artistas"

"O planeta vermelho é Mercúrio"
Da Feiticeira, errando a resposta (que é Marte) por alguns milhões de quilômetros

"Sai mosquito! Sai mosquito!"
Mariana Kupfer, ao ver um pernilongo _potencial transmissor de dengue_ rondando sua cabecinha.

"Pra mim, amigo de mulher é cabeleireiro!"
Mais uma filosofia inexplicável de Ricardo Macchi

"Achei melhor deixar amadurecer, porque 'essas tomates' (sic) ainda estão meio brancas (sic! sic!)."
Tiazinha, a sábia yogue

"Estou fazendo aulas de canto, de tudo... Artista tem que saber de tudo. Pretendo gravar CD porque eu vou ser a Jennifer Lopez brasileira."
Maaaais uma da Tiazinha

"Nós artistas temos que passar mais para o público, mais do que na boca da garrafa."
Do cigano Igor, digo, Ricardo Macchi
Antes tade do que nunca.
Vcs viram como a Paula tá lindinha?!
Por que tem gente que gira os discos do Roberto Carlos de trás pra frente pra tentar encontrar mensagens do diabo, hein?!
Ah, qta felicidade!!!
Recebi um e-mail do meu novo amor, o Chefe.
Tá, não eram mais que 5 palavras.
Mas 3 delas eram "Um beijo, Chefe", com o nome dele no lugar de "chefe", claro.
E as outras duas não eram "te amo". Mas tudo bem.
Roubado do blog de uma outra Stella (coincidências...), descoberta 100% por acaso, pq eu achei mto legal (tanto o post como o resto do blog!). Vão lá visitar pra eu não ficar com a consciência pesada por ter roubado o blog da menina, vão....

Siga as instruções e responda às perguntas uma de cada vez MENTALMENTE e tão rápido quanto possível mas, não siga adiante até ter respondido a anterior. E se surpreendam com a resposta!!!! Agora, responda uma de cada vez:

Quanto é:

15+6

89+2

12+53

75+26

25+52

63+32

Sim, os cálculos mentais são difíceis mas agora vem o verdadeiro teste. seja persistente e siga adiante.

123+5

RÁPIDO! PENSE EM UMA FERRAMENTA E UMA COR!

E siga adiante...

Pensou em um martelo vermelho, não é verdade???? Se não, você é parte de 2% da população que é suficientemente diferente para pensar em outra coisa. 98% da população responde martelo vermelho quando resolve este exercício.


E sabe o que é mais interessante? Eu pensei numa chave de fenda verde!!!! :-)
É Sério
(Fátima Guedes e Djavan)

Meu peito exposto à flecha mortal
Será que é bom, será que é mal,
Será amor bandido?
Eu vou levando vida normal
Não te conheço e nem te esqueço,
quero, te quero, te quero
e é sério, sim,

Se o destino fez você gostar de mim.
Será porque quis na minha vida
alguém como você?

Stella vai postar música hoje!

A Primavera
(Carlos Lyra e Vinícius de Moraes)

O meu amor sozinho é assim como um jardim sem flor
Só queria poder ir dizer a ela como é triste se sentir saudade
É que eu gosto tanto dela que é capaz dela gostar de mim
E acontece que eu estou mais longe dela
Que da estrela a reluzir na tarde

Estrela, eu lhe diria, desce à terra, o amor existe
E a poesia só espera ver
Nascer a primavera
Para nunca mais morrer

Não há amor sozinho
É juntinho que ele fica bom
Eu queria dar-lhe todo o meu carinho
Eu queria ter felicidade
É que o meu amor é tanto
É um encanto que não tem mais fim
E no entanto ele nem sabe que isso existe
E é tão triste se sentir saudade
Amor, eu lhe direi
Amor que eu tanto procurei
Ai quem me dera eu pudesse ser
A sua primavera e depois morrer

segunda-feira, fevereiro 25

Stellinha foi toda serelepe em seu vestidinho azul e melissinhas da Sandy (sim, eu tenho a melissinha da Sandy! Vai encarar?!), no calor infernal que fazia hoje de manhã, ver a notinha da prova! E, pasmem, Stellinha foi tão bem que virou um ser serelepe e saltitante.

"Aaaahhh!
Mas eu tô tão feliz!!!!!
Dizem que o amor atrai...."
Samurai - Djavan
Depois disso tudo, só me resta ir dormir com meu lindo pijama de borboletas, feliz da vida, assim como eu fui dormir ontem, às 5 horas da manhã, e sonhar, sonhar, sonhar. Ai ai.
Voltando ao velho-novo-assunto, uma conversa com o dito cujo, que não morre mais, entrou no ICQ na hora exata em que eu publicava o post dele e veio, todo ressabiado, falar comigo:
Ele: (12:20 AM) stella... td bem??
Eu: (12:22 AM) Fulano! Tudo maravilhoso! E com vc?
Ele: (12:23 AM) td otimo!!!
foi mal q nao pude ir na festa...
sabe tive problemas com a mariana...
=P
e no demais... como foi a festa??
Eu: (12:24 AM) como assim?
Ah, foi ótima! me enganaram direitinho.
Ele: (12:24 AM) huahuahauahauhauha
:)) eu nao fui pq rolou um stress com a mari (minha namorada)
sacou?
ela tem um... "ciumes" de vc...
Eu: (12:25 AM) Fulano, que coisa ridícula!
ciúmes de mim?!!?!
Ele: (12:26 AM) pois é...
é que eu contei um dia sem querer q a gente já ficou e teve um rolo por um tempo....
:P
ai ela ficou assim com vc....
Ele: (12:26 AM) foi mal....
Eu: (12:27 AM) Ah, tá, agora tá explicado.
E pq vc não trouxe ela pra me conhecer?
Ela veria q eu não ofereço risco algum.
Eu: (12:28 AM) hehehehe.......
ah pra ela nao interessa isso.....
:P
importa q vc já ficou comigo...
ela é meio insegura a relação a mim sabia?
Eu: (12:28 AM) e vc dá motivos, fulano?!
Ele: (12:29 AM) ah olha pra minha cara....!
po sei lá....
elas dá umas pala de me achar mais bonito q ela...
de mais mulher chegar em mim do q homem nela...
:P
Ele: (12:29 AM) entendo nao...
Eu: (12:32 AM) Olha, fulano, eu sei que ela é sua namorada e vc provavelmente não vai gostar de ouvir isso não, mas eu acho isso meio... hum.. como poderia amenizar....... ridículo mesmo.
Ele: (12:33 AM) mas é...!!
pelo menos eu acho que é isso...
talvez nao seja isso....
mas tipo ela é insegura...
e as vezes enche o saco...
Eu: (12:35 AM) Não deixar vc vir no meu aniversário e nem querer vir junto pra me conhecer é bobo, fulano, mto bobo. Sinceramente. Não entendo como vc pode concordar com ela.
Ele: (12:37 AM) ai é pq senão ela fica toda cheia de merda depois...
melhor ceder nessas paradas...
nao entendo nao....
po ela estresssa um poko quando a gente vai na boate...
Eu: (12:39 AM) Mas Fulano, raciocina comigo: ela não vai poder te afastar de todas as meninas com quem vc ficou, ou com quem vc queria ficar, ou que queriam ficar com vc. Vc tá se afastando das pessoas, não é bom ceder a todas as pressões dela. Senão daqui a pouco vc tá vivendo só pra ela, e sem mais ninguém.
Ele: (12:40 AM) isso é verdade...
eu tenho q conversar com ela mesmo sobre essas paradas...


E mudou de assunto. Vamos fazer um bolão? Ele vai conversar com ela ou não? Façam suas apostas.
Agora vamos ao moço que, de-tes-to confessar, me deixou balançada a noite toda: o ex. Sim, recaída parcial, horrível, horrível. É, parcial pq não chegou aos finalmentes, ficou só em um joguinho de sedução, não sei dizer se felizmente ou infelizmente. Ele até trouxe minha aliança de volta, eu havia perguntado há algum tempo se ele ainda tinha e ele disse que sim, eu pensei que fosse mentira, mas ele me trouxe pra devolver. Qdo terminamos, eu sofrendo horrores, resolvi tirar da minha frente tudo o que me lembrasse a criatura. Pedi pra ele não ligar por um tempo, escondi os presentes, as fotos, não usava os brincos que ele me dera nem escutava os cds que ele tinha me dado. Aproveitei o embalo e devolvi a aliança. Tinha uma esperança tão verde, de que um dia ele me devolveria aquele anel e voltaríamos a ser felizes para sempre. Bom, não foi o que aconteceu, mas foi estranho mesmo assim. Ficar relembrando momentos, abraços carinhosos, olhares interceptados, alguma facinação pelo meu sorriso, sentar ao meu lado, fazer cócegas, mais abraços, insinuações, maliciosas brincadeiras, ciúmes, ciúmes.
Eu sou uma fraca mesmo. Como pode, depois de dois anos, ter tanta coisa viva ainda dentro de mim. Tantas lembranças... E eu que pensava que isso tinha acabado. De uma vez por todas. Sim, podemos ser amigos, claro, problema nenhum, já te esqueci mesmo. Eu brinco, brinco, mas no fundo ainda tenho aquela esperança verde. E isso é mau, mto mto mau mesmo.
E já que estou falando mal, deixa eu completar: na malhação do Judas pelo quarteto diabólico, as meninas contaram que ele apareceu outro dia com vários chupões sinistramente sinistros no pescoço. Em lugares inclusive que não podiam ser escondidos, todos bem visíveis, bem escuros, daqueles que até ficam meio verdes nas bordas. Estávamos discutindo a esse respeito e o Rodrigo lançou:
- Ah, mulher que faz esse tipo de coisa, assim, pra deixar marca mesmo, tá só querendo demarcar território.
E eu, no calor da discussão, sintética.
- Era mais fácil ela fazer xixi em volta dele, ora bolas.
É, eu estou terrível desde ontem.
Por falar em namorados, a cena mais cômica da noite (fora a cara de besta da Stellinha) referiu-se a um ex ficante. Que também rendeu mta lavagem de roupa suja e momentos rancorosos diversos de algumas pessoinhas na festa. Bom, tivemos um affair, mto tempo atrás, antes de ele começar a namorar com a "antipatiquinha" (eu estou terrível hj). A questão é que éramos amigos antes e continuamos sendo amigos depois do ocorrido. Mas aí surgiu a mocinha. O rapaz vem colecionando inimizades desde então, faltando aos aniversários das amigas. Em um deles ele inclusive deixou a Talitinha e outra amiga esperando, prontas e belíssimas, pela carona que não veio. Pra depois ligar, algumas horas de atraso, dizendo "Sinto muito, não vou poder ir. Vou sair com a Mariana!". Ok, ok. Ele nunca foi uma pessoa pontual, nem de cumprir mto com a palavra, é o jeito dele, meio desligado, esquece com facilidade, mas era autêntico. Por isso, apesar de tudo, sempre foi mto querido, principalmente por mim. Não deu certo pq não deu certo, não éramos apaixonados um pelo outro e a coisa foi simplesmente esfriando. Por mais incrível que pareça, continuamos mto amigos, eu mesma me surpreendi com nossa própria maturidade pra conseguir separar bem as coisas. No começo deste mês ele faltou a um outro aniversário. Desta vez de uma amiga amicíssima (por quem ele já foi perdidamente apaixonado, mas isso é segredo), daquelas de dormir, comer e tomar banho na casa dela. Ela estava tiririca. Na segunda feira, o moço manda um bilhete durante a aula, perguntando se ela estava chateada. A resposta? "Olha, eu não vou ser hipócrita com vc não. Vc perdeu um ponto feio comigo, achei mta falta de consideração. Esse é seu jeito? Ok, mas vc não serve pra ser meu amigo!" Desde então a amizade não foi mais a mesma, apesar de eles terem feito meias-pazes. Enfim, ele não veio ontem. Motivo? Fiquei sabendo por amigo fofoqueiro.
Ele foi convidado várias vezes, com ressalvas e mensagens subliminares do tipo "Se vc não for a Stella vai ficar mto chateada". Eu sinceramente não achei que ele fosse faltar. Ele até perguntou se podia trazer a sua senhora junto. Ora, que trouxesse a namorada, qual o problema? Ninguém a conhece, e estávamos todos loucos pra conhecê-la. No começo do namoro eu cheguei até a pensar que ele tinha inventado uma namorada por carência e estava mesmo era namorando uma boneca inflável. Mas ele começou a furar os compromissos com mais freqüência, sempre desmarcando em cima da hora, alegando "compromissos" ou simplesmente dizendo que não ia dar, sem maiores explicações. Até que alguém a conheceu, e eu fiquei até com peso de consciência pela descrição que me fizeram: "Ah, ela é simpática, mto meiguinha". Me arrependi de ter dito tanto que ele estava se afastando dos amigos por pressão da dita cuja. Mas ontem tive minha confirmação. E foi triste, mto triste.
O moço faz inglês na mesma escola e horário q uma das minhas amigas, a namorada do Carona. Ontem de manhã ele foi procurá-la na sala com o seguinte discurso: a "nojentinha" tinha descoberto que havia acontecido, em um passado remoto e longínquo, um casinho entre a aniversariante e o namorado dela, sabe-se lá como. Ele deve ter contado, eu contaria, qual o problema? E a reação dela foi só dizer: "olha, eu não vou. E se vc quiser ir é por sua conta!" Tipo Show do Milhão. Por sua conta e risco. E, pelo que me parece, ele cedeu. Qdo o fofoqueiro contou essa história, meu ex disse que ia ligar pra ele, dar uma sondada, ver se ele ainda vinha. Eles são mto amigos, apesar de isso parecer meio surreal. Enfim, isso é uma outra história, conto outro dia. O importante é que ele foi bem curto, segundo o Rodrigo, apenas alguns monossílabos, provavelmente a chatinha tava do lado. E eu fiquei pensando no quanto isso era ridículo. A amiga das "meias-pazes", eu, Talitinha e Rodrigo nos juntamos pra malhar. Cada um estava rancoroso por um motivo. Eu confesso que não liguei mto não, acho que já me acostumei com o desligamento do dito cujo. E estava feliz demais pra me deixar ficar triste por uma bobagem dessas. Mas fiquei impressionada com o tamanho da bobagem. Ele está se afastando de todos os amigos, os meninos disseram que faz uns 4 meses que eles não se vêem, não saem juntos, não têm nem notícias. E a menina se sentir ameaçada por mim é o mais estúpido da história. Ora bolas, logo por mim?! Se ela viesse me conhecer, certamente verificaria que eu não ofereço risco algum. E MESMO que eu fosse perdidamente apaixonada pelo namorado dela, MESMO que eu arrastasse um bonde pelo namorado dela, MESMO que eu fosse uma sem-vergonha que fosse pular no colo dele assim q ele entrasse pela porta, e nenhuma das três hipóteses é verdadeira, eu garanto, que raio de namoro é esse aonde ela não confia nos sentimentos dele por ela? Acha que ele vai cair de amores por uma ex-ficante? E mais importante: se ela gosta tanto dele, devia interagir com os amigos dele, ou pelo menos tentar. Afastá-lo das pessoas que gostam dele, na minha opinião, não é demonstração de amor. De jeito algum.

domingo, fevereiro 24

Estavam todos aqui: amigos das antigas e amigos recentes. Inclusive o furão do João Henrique, que é sempre convidado pra tudo o que a gente faz mas nunca aparece, apesar de confirmar presença em todas. Os amigos do colégio, amigos da Física, uma amiga de infância, meu ex, além da minha família, claro. Tudo tão lindo, os balões, os chapeuzinhos, o meu Carona até cortou o cabelo! Conseguiram falar com todo mundo, apesar de nem todo mundo ter aparecido. Agora vamos à lavação de roupa suja:

Momento rancoroso:

Duas grandes amigas minhas não apareceram. Frescura, provavelmente, pq eu conheço mto bem as duas. E sinceramente, não fizeram falta. Parece cruel dizer assim, não? Mas eu já fui de me preocupar. Já fui de pedir desculpas, ir atrás, abanar rabo e tudo. Hoje estou num momento "f***-se". Não quiseram vir? Preferiram ir dar pro namorado? Paciência. Tinha tanta gente legal aqui que nem percebi que não vieram. (venenosa eu, né?! Zé, eu sei que vc vai ler isso mas nem ouse tocar nesse assunto, hein?! Morreu!). Uma delas inclusive passou pela minha frente no dia do meu aniversário e, se eu não parasse ela no caminho com um grito "Ei, Fulana, tá brava comigo?" ela não teria nem dado os parabéns, com um tom de obrigação na voz e fazendo cobranças, reclamando, dizendo que sim, estava brava comigo. Bom, da outra eu gosto mais, apesar de estarmos um pouco afastadas, mas tenho a impressão de que largou a gente por causa do namorado e, bom... Cada um faz sua escolha.
Maravilhoso!
Assim foi meu dia ontem!
Acordei cedo: trabalhar! Consegui dormir cedo na sexta, não encontrei o jovem-biomédico-sexy-e-eterno-noivo pra conversar e capotei na cama antes do globo repórter. Enfim, acordei cedo e, assim que cheguei no cursinho, com quem eu dou de cara? O moço canalha! Ótimo papo, ele é divertido e tal, acho que vai ser bom trabalharmos juntos todo sábado de manhã. Conversamos bastante, tinha pouco movimento.
Cheguei em casa e recebi um telefonema de uma amiga, dizendo que a tarde estava mto bonita e ela queria passear: comprar algumas coisas no shopping (ela, não eu, que ainda não recebi salário), tomar um sorvete, alguma coisinha boba assim. Eu topei tranquilamente. Mesmo pq minha mãe tinha dito que as velhinhas da igreja vinham aqui, uma reuniãozinha de senhoras. Ela inclusive parecia meio aborrecida, pq foi algo combinado de última hora, ela tinha que arranjar alguma coisa pra servir, comprar chazinho diet, essas coisas. Me mandei com a amiga, que fez questão de dizer: "vai bem bonitinha, tá?" Eu nem achei estranho, pensei que ela queria era me apresentar alguém, sei lá. Não dei mta importância. Me arrumei "bonitinha" pra quem vai passear no shopping num sábado à tarde.
Ela rodou no shopping por horas. Entrou em várias lojas, comprou o que podia e o que não podia. Ficou com peso de cosciência. Eu saí de lá carregando um singelo pijaminha de borboletinhas: sexy, confortável, uma gracinha! E barato, o mais importante. Estávamos em uma loja de calças (super promoção: qualquer calça feminina por R$ 39,90!!!) com um vendedor gatão (Fábio, um colírio) quando ela recebe um telefonema no provador ao lado do meu: o avô dela precisava do carro, urgentemente, a gente precisava ir embora. Um pouco depois, minha mãe telefona, dizendo que as velhinhas ainda estavam lá e elas iam todas visitar um velhinho que estava no hospital. Como meu pai e meu irmão estavam fora, era pra eu entrar com a minha chave, ela não ia demorar. Tudo bem, vai lá, não precisa me esperar não. Ok, amiga, vamos lá, mas será que a gente podia passar no drive do Mc Donald's no caminho pq eu tô azul de fome? Ela disse que claro, sem problemas. Assim que entramos no carro, ela disse que se sentia mal, estava meio tonta. Eu querendo dirigir, ela disse que não. Pediu pra que a gente passasse em casa, ela tomava uma água, ligava pra casa e dizia que não estava bem, os avós iam entender. "Ok, mas será que a gente podia passar no Mc'Donalds?" "Ah, Stella, não me leva a mal não, mas qdo a gente chegar na sua casa pedimos pelo telefone, eu realmente não estou bem."
Eu, preocupadíssima do lado, insistindo pra que ela deixasse eu dirigir. Ela faz o tipo que não dá o carro na mão de ninguém, nem se estivesse morrendo. E eu já tinha até esquecido a fome de preocupação.
Entrei em casa voada, ela logo atrás de mim, tonta, eu ia pegar um copo d'água. Acendi a luz e...
SURPRESAAAAAAAA!!
Eu, cara de besta.
Minha amiga, se abrindo de rir.
De repente, um chapeuzinho de aniversário na minha cabeça.
Balões de todas as cores, um monte de gente, amigos e amigos!
Eu, cara de boba!!!!
Foi tão engraçado! Me enganaram direitinho: não tinha reunião das velhinhas, nem a Alessandra tava passando mal e era por isso que eu devia estar bonitinha!!!!
Meus amiguinhos organizaram uma super festa surpresa de aniversário pra mim! Tão legal!

sexta-feira, fevereiro 22

Ela: Voce me ama?
Ele: Amo.
Ela: Paixao, paixao?
Ele: Paixao, paixao mesmo.
Ela: Mais que tudo no mundo todo?
Ele: No mundo todo e fora dele.
Ela: Nao acredito.
Ele: Faz um teste
Ela: Eu ou fios de ovos?
Ele: Voce, facil.
Ela: Daqueles com calda grossa, que a gente chupa o fio e a calda escorre pelo queixo.
Ele: Prefiro voce.
Ela: Futebol.
Ele: Nao tem comparacao.
Ela: Voce esta caminhando, vem uma bola quicando, a garotada grita "Devolve tio!" e voce domina, faz desessete embaixadas e
chuta com perfeicao.
Ele: Prefiro voce.
Ela: Internacional e Milan em Toquio pelo campeonato do mundo, passagem, entrada e estadia, tudo de graca.
Ele: Voce vai junto?
Ela: Nao.
Ele: Pela televisao se ve melhor.
Ela: Faz muito calor. Ai chove, depois abre o sol, em uma brisa fresca com aquele cheiro de terra molhada... no radio toca uma
musica... e sexta-feira e a TV anunciou um Hitchcock sem dublagem para aquela noite e o presidente esta dando certo.
Ele: Voce.
Ela: Voltar a infancia so pra poder pisar na lama com o pe descalco e sentir a lama fazer 'squish' entre os dedos.
Ele: Voce, longe.
Ela: A Sharon Stone telefone e diz que e ela ou eu.
Ele: Que duvida!!? Voce!!
Ela: Cheiro de livro novo. Solo de sax alto.Bateria de escola de samba. Lencol recem-lavado. Hora no dentista cancelada.
Vizinha nova chegando de mudanca.
Ele: Voce, voce, voce, voce, voce e voce respectivamente.
Ela: A Sharon Stone liga de novo e diz que se voce se livrar agora de mim ela ja vem sem calcinha.
Ele: Desligo o telefone.
Ela: Fama e fortuna. A explicacao do universo e do mercado de commodities com exclusividade. A vida eterna e um cartao que
nunca expira.
Ele: Prefiro voce.
Ela: Uma cerveja geladinha. A garrafa chega estalando. No copo um quarto de espuma firme. O resto sou eu, so eu dizendo: vem,
veem, veeem....
Ele: Huuuuummmmmm!!!
Ela: Como 'huumm'? Ela ou eu?
Ele: ...... (silencio de 5 segundos)
Ele: Qual e a marca?
Ela: Seu cretino!


Luiz Fernando Verissimo

quinta-feira, fevereiro 21

Eu tenho certeza que, no momento exato em que eu desligar o computador, eu vou me lembrar de um monte de coisas que eu queria dizer.
Hoje acordei com :
"it would be a bright
bright
bright
bright sunshine day!!!"

Ótima maneira de começar o dia, né?!
E vinha no carro dirigindo quando toca nada mais nada menos que "Fly me to the moon". É, meu amor, não tinha como não lembrar de vc...
Volto a trabalhar amanhã e confesso que estou um tantinho assim apreensiva. Me colocaram pra ficar 4 horas de uma tarde de sexta feira (ao que me parece o dia que as pessoas preferem estudar) na unidade mais fresca e endinheirada do cursinho. Isso significa grandes chances de stress no final do mês. Além do mais, provavelmente vou ser monitorada a tarde toda, vai ter sempre alguém vigiando. Acabou a mamata, Stellinha, vamos pegar no batente! (ui)

terça-feira, fevereiro 19

Por falar em meu carona, conversa hilária outro dia entre ele, eu e um amigo:
Amigo: - Stella...
Eu: - Diga.
- Vc se considera uma boa moça?
- Como assim?
- Nesses anos de vida vc se considera uma boa pessoa?
- Olha, acho que sim.
- Vc é uma moça séria, temente a Deus, caridosa?
- Ah, Osvaldo, eu tento, dentro do possível.
- Então vc, que já tem até vaga garantida no céu, pq vc dá carona todo dia pra esse cara? Vc não precisa disso.
Carona: - Hi, Osvaldo, vc tá por fora. A Stella é esperta: ela não quer só uma vaga no céu. Ela tá esperando um cargo de confiança.
Ok, panorama rápido enquanto estou esperando minha companheira de grupo chegar para fazermos um relatório. Sim! Stellinha não vai pra gandaia, nem tem jantar especial, nem festinha! Stellinha vai passar a noite do seu aniversário fazendo o quê? Relatório de Laboratório!!! Yes!!!
Enfim. Estive sumida pq estava fazendo toneladas de provas. Além de dois relatórios (ainda não terminados, diga-se de passagem) e um trabalho de Psicologia da Educação. Aliás, matéria deliciosa, depois falo mais sobre isso.
Enfim, fiz prova hj 8 horas da manhã, ótima maneira de se começar um aniversário. Ainda mais levando-se em consideração que eu fui tão mal numa prova quanto uma pessoa pode ir mal numa prova. Mas não pensem que fiquei chateada não, meu dia hj foi mto bom, e ainda tenho outras pra recuperar. Além do mais, fiz a prova toda contente. Estava me preparando pra vir pra UnB e 7h da manhã eu recebo um telefonema:
- Alô.
- Alô, é da casa da Stellinha?
Hehehehehe Pensei logo ser coisa tua, Pelagia!
- É ela quem tá falando.
- Oi, é que eu tô aqui com uma encomenda mas eu não tô achando a casa.
Opa, encomenda??
- O sr. tem o endereço?
- Tenho sim, mas não estou achando a casa.
Aí eu expliquei pra ele e fui esperar na porta o lindo buquê gigantesco de flores do campo (todo coloridinho, uma graça) que me fez começar bem o dia, apesar de o moço da entrega ter estragado toda a surpresa.
Bom, não era do Chefe bonitão, mas de um grande amigo que queria ser o primeiro a me desejar parabéns. Pena que não conseguiu, pq servi de despertador pra meu carona e ele, meio sonolento, lembrou que era meu aniversário.
Ei, hj eu mudo de dezena! Tão traumático!!!!
;-)

domingo, fevereiro 17

As pessoas estão casando, e isso é mto estranho.
Hj me contaram que a regente do meu coral casa no começo de março. E eu nem sabia que ela tinha namorado, noivo, ou semelhante!
Encontrei com uma amiga de infância no shopping outro dia, daquelas que vc conhece desde os 5 anos de idade e de quem vc foi sempre amiga durante todo esse tempo. Ela estava lá, passeando com o namorado, namoram há 2 anos. Conversa vai, conversa vem, ela me diz que deve estar indo pros Estados Unidos fazer estágio lá no final do ano.
- Poxa, que legal, é uma oportunidade e tanto.
- Pois é, eu e o Alan vamos passar 9 meses lá.
- Ah, ele vai com vc?
- Claro, a gente deve estar indo na empresa acertar os detalhes essa semana.
- Puxa, que legal. Vão morar juntos?
- É, ele já morou um tempo lá, tem alguns contatos, vamos alugar um apartamento. Só minha mãe que ainda não tá gostando mto da idéia.
- Ué, mas pq?
- É pq ela fica dizendo que a gente vai ficar vivendo como casados. Eu já disse pra ela: "mãe, a gente quer casar, o mais rápido possível. A gente já namora há dois anos, uma hora vai casar mesmo."
- É, é verdade...
- Pois é. Já fizemos mais ou menos as contas, o estágio tá pagando U$ X, qdo voltarmos vamos estar com uma boa reserva em dinheiro. Provavelmente dê até pra dar entrada na compra do apartamento.
- Ah.. apartamento?
- É, o Alan vai provavelmente morar em Natal qdo a gente voltar, talvez surja uma oportunidade de emprego pra ele lá. Aí eu vou morar com ele, claro.
- É... claro... Bom, mto bom te ver. A gente combina de sair um dia.
-Claro. Tchau tchau.

Me senti tão velha. Só faltou a gente combinar de tomar um chá. Não que eu ache chá coisa de velho, eu inclusive gosto mto, estava tomando um de maçã com canela agorinha mesmo enquanto estudava pra ver se vinha uma luz.
Mas ouvindo ela falar assim, me deu até vontade de casar. Melhor dizendo, não de casar, especificamente, mas de fazer planos. Eu sou sonhadora nata, daquelas que ainda acredita em romance apesar de não ser melosa. Às vezes me contento mais com o sonho do que com a realização propriamente dita. Eu já fiz planos de casar. E era tão divertido. Com meu último namorado (aquele de 2 anos), a gente tinha todo esse tipo de sonho adolescente, passar na frente das lojas e sonhar como seria a casa, como seria decorada, filhos, férias na praia, cor do sofá, das xícaras, tudo! Era lindo. Talvez por isso tenha doído tanto qdo acabou. Era um monte de sonhos escorrendo pelo ralo, um punhado de planos que nunca iam se realizar. Ele era excelente com crianças, seria um ótimo pai, numa época de crise eu até fiz ele me prometer que, se terminássemos, ele seria um titio legal pros meus filhos. Ele, apaixonado, respondeu que seria impossível, ele não conseguia me ver com filhos que não fossem dele também.
Mas não é dele que eu estou com saudades. É dos planos. É de ter com o que sonhar. Com quem sonhar. Com a casa, o jardim, as crianças, cafuné à noite na cama, beijinho de bom dia, massagem nos pés, colo qdo se leva pito do chefe, festinhas em família, visitar a sogra, tricotar com a cunhada....
Tão triste não ter com quem sonhar. Agora meu futuro tem um big ponto de interrogação, e é engraçado se imaginar casada com um bonequinho de terno e gravata, mas com um ponto de interrogação no lugar do rosto. Simplesmente pq isso não é algo presente na minha vida. Ninguém (estamos falando de possibilidades REAIS) interessante, que faça o coração bater mais forte, nó na garganta, ansiedade e afins.
No momento só consigo me ver como uma cientista maluca, bem sucedida, de fato (com isso eu ainda sonho), na NASA talvez (ou na agência espacial brasileira. sou patriota), mas sozinha, enfurnada num laboratório, ganhando o prêmio nobel (isso é que é sonhar alto!!!). Um tailler, salto alto e um coque, com alguns cachinhos soltos na nuca e na testa. Mas nada de crianças, cafuné e sogra.
Não que eu queira ser assim. Claro que não. Mas, ao que parece, é nisso que estou concentrada agora (ou foi nisso que a vida me concentrou). E aí os planos se limitam aos foguetes. E um amor vestido de ponto de interrogação.
Eu sou do tipo que espera até meia noite pra atrasar os relógios do horário de verão. Algum problema?!

E por falar em horário, finalmente agora a hora dos posts voltou ao normal. Vou ter que me reacostumar. E por falar em costume, eu preciso dizer: eu gosto do horário de verão. Andar na rua às 8 horas da noite e ainda estar claro é uma maravilha, vc tem a sensação de que o dia foi mais longo. Mas gosto também qdo acaba o horário de verão, pq teoricamente seu dia tem uma hora a mais. Tá, eu sei que é bobeira, mas pra mim, que tinha um monte de coisas acumuladas (inclusive sono), dormir uma horinha a mais fez bastante diferença.
Estudar, dormir, estudar, dormir, comer, estudar, dormir, estudar, estudar, estudar,... ZzzZZZzzzzZZzZzzzZ.
Nisso se resumiu meu domingo. Tenho duas provas essa semana, dois relatórios, um texto e um trabalho pra preparar, e ainda recomeça meu inglês e provavelmente meu trabalho.
Será que o doutor Albieri faz um clone pra mim também?!
Ai ai ai, tô tão feliz!!!

Passei o dia inteiro estudando sozinha (snif snif, pobre de mim abandonada) na UnB (parte chata), de birra almocei no Mc Donald's (parte legal), voltei pra casa cansada (parte chata) e fui pra reunião com meu chefe e os outros monitores (parte indiferente).
Cheguei lá e as pessoas conversaram comigo! (parte bem legal) Aquele papo todo de "vc faz física, né?" "viajou nas férias?" e outras besteirinhas. Demorou seis meses, mas antes tarde do que nunca. Fiquei tão surpresa com a acolhida calorosa (sei lá o que deu naquele povo) que nem sabia direito o que responder, ficava caçando as palavras, acho até que me acharam meio.. hum.. muda.
Um dos moços que ficou conversando comigo fez questão de se sentar ao meu lado durante a reunião (parte uhuuuu!), talvez simplesmente pq eu, sem querer até, peguei o melhor lugar em relação a onde o chefe estava (parte aaahhh). Enfim. O importante mesmo, e motivo da minha felicidade, é que no final da reunião, eu conversando com alguns meninos (sim! eu estava conversando, não é fantástico?!), meu chefinho passa por dentro da nossa rodinha, me dá um beijo na testa (detalhe: ele nunca tinha feito isso antes) e ainda me diz:
- Puxa, e pensar que um dia eu dei aula pra vc.
Eu, sem graça.
- Pois é, né, chefe, tá ficando velho...
- Vc era desse tamaninho...
Eu, sorrindo.
- Puxa, nem faz tanto tempo assim. E eu também não cresci mto de lá pra cá não.
- Eu tenho o maior orgulho de vc, Stella.
Eu, feliz!!!!!
Ganhei meu dia. Reconhecimento, doce reconhecimento.

Perfil do chefe: engenheiro, uns 27/28 anos, charmoso, faz o tipo bonitão, óculos (taí o charme!!!), professor de física, adora lecionar e faz isso mto bem. Exigente, mas justo, acessível, dá sempre bons conselhos, divertido, tem sempre um monte de aluninhas babando atrás dele mas ele é ético demais pra dar corda.
O que não quer dizer nada com relação aos monitores. ;-)

Taí, vou me apaixonar pelo chefe. Pelagia se apaixonou pelo João Florzinha, eu posso me apaixonar pelo chefe. Não é?!

sábado, fevereiro 16

Momento Desabafo: Eu acho estranho. No mínimo incoerente. Vaja bem: uma pessoa que se julga um bom físico, quem sabe até um cientista nato, sei lá, que pensa que entende minimamente algumas coisas (e talvez entenda mesmo). Ela entende transferência de momento, colisão e choque, força, pressão, desaceleração e tempo de reação, tem pelo menos noção do que é um impacto de 4g (4 "gravidades") num tórax humano. E acha muito legal dirigir a 120 km/h. E mais: se recusa a discutir, fica bravo e faz comparações estatísticas a respeito. E ainda completa com essa: "Ah, mas não vai me dizer que quem dirige devagar é melhor motorista do que quem dirige rápido!" Fiquei indignada.
Acompanhem meu raciocínio: se tem uma vaca na estrada e eu estou a 120 km/h e vc está a 60 km/h, vc pode conseguir frear e não atropelar a pobre da vaca e eu não, por uma regra de três besta e básica vc chega que o espaço percorrido até baixar a velocidade pra zero é maior quanto maior for sua velocidade inicial. Ok?
Vamos a outro ponto. Digamos que vc seja realmente um "motorista mto habilidoso, um excelente motorista". Puta merda (observem meu nível de indignação), não é lógico que se vc colide com um poste a 120 km/h o momento, pressão e o escambal são mto maiores do que se vc está a 60 km/h? Faça um teste: saia correndo e se jogue contra a parede. Consideremos que vc não é um atleta, digamos que vc consiga fazer 5m/s, te garanto uma coisa: vai doer um bocado! Imagina isso a 30m/s (~120km/h).
Se vc não sabe disso, tudo bem. Quer dizer, tudo bem o caramba, pq esse é o tipo de conhecimento que vc não precisa da matemática/física pra entender. É pura lógica.
Agora, se vc tem todo esse respaldo físico/matemático que além de te dizerem isso ainda te demonstram e te provam, numericamente, que, SIM!, vc vai se machucar, eu acho que não tem outra desculpa além de imprudência e irresponsabilidade conscientes. E não é só uma questão de se machucar ou dar perda total no carro. O mais importante é não entender que vc está colocando a vida de outras pessoas em risco. Já imaginou a puta dor na consciência se vc mata ou aleija alguém em um acidente de trânsito?
Eu não entendo, juro que não entendo... É mta incoerência... Será que isso só é óbvio pra mim ou tem alguma coisa aí que eu não estou percebendo?
E por falar em lambança, a lerdinha aqui leu, releu e entendeu tudo errado. Entrei no Pic-céu e lá estava escrito:
Já que o Jackie Miller Conta acabou, coloquei outro blog no lugar... dá um olhada, é esse aqui.
E o que a Stella entendeu? Que o Iberê tinha criado o Abduzindo... Tudo errado, uma tremenda confusão, como depois fez questão de esclarecer o próprio Sr. E.T. Ele até falou bem do humilde bloguezinho lá. Falando nisso, mto obrigada pela menção.
Mas.. ah... a idéia não é menos genial só pq não vem do Iberê (tô levantando sua bola mesmo, hein, moço?!). Eu gostei e ponto. É isso que conta. E vamos apagar esse episódio negro das nossas vidas, vai?!

sexta-feira, fevereiro 15

Depois de tanta frustração, tomei um banho, lavei o cabelo, fui ao cinema (assistir ao filme do matemático esquizofrênico) e quando voltei, com a mente relaxada e deliciosamente refrescada por um sundae do Mc Donald's, fui novamente mexer no template da Pelagia. Tá saindo, amiga, aos trancos mas tá saindo. Só não bote mta expectativa em cima disso não. Vc sabe q eu não passo de uma amadora. Vai sair fraquinho, mas vai ser feito com mto carinho! (desculpa esfarrapada pra lambança. :) )

quarta-feira, fevereiro 13

Frustrei-me. Profundamente. Passei a tarde inteira tentando fazer alguma coisa legal pra Pelagia e, puft, NADA! Desculpe, amiga, mas redecorar a casa dos outros é tarefa deveras difícil. Faço o que posso: tentei criar sua bonequinha, colocar os comentários (que, pra variar, não funcionam nem aí nem aqui), entre outras cositas que achei bonitinhas. Mas eu não vou desistir não, viu? Meus parcos neurônios não estão ajudando, mas sei que nunca mais passarei fome!, não, essa é outra fala.. eu sou capaz, eu vou conseguir (sobe o volume da música) Tchan tchan!
Me aguarde!
(reparem não, Stella surtou mesmo de tanto entrar em páginas de HTML)

terça-feira, fevereiro 12

Isso só podia ser idéia do Iberê. Genial!
Ontem foi dia de fondue. Carne, frango, chocolate, vinho, banana, uva, molhos, molhos, suco de abacaxi com hortelã. Ou seja, tudo de bom. E fracasso total com relação a qualquer regime que eu pensasse em fazer nos próximos 27 anos. Nhamm...
Cinema na quinta e sessão de clássicos no sábado. Pelo menos era o previsto. Combinamos de assistir a alguns clássicos do cinema aqui em casa, embora a televisão grande da sala esteja há umas 3 semanas no conserto. Tivemos que improvisar. Mais precisamente, surrupiar a tv do quarto do meu irmão que está em uma oportuna viagem com meu pai a uma cidadezinha do interior. Pescar, andar na praça, o tipo de coisa que não me apetece.
Fui às compras, pipoca, refrigerante, suco, pq a galerinha aqui é light. E alugamos o filme que tem a cena que melhor expressa a felicidade de uma pessoa, na nossa opinião: "Cantando na Chuva". É, pessoal, as 8 pessoas que estavam largadas no sofá da minha casa e proximidades nunca tinham assistido o Gene Kelly sapateando nas poças d'água. Eu inclusa. E pra quem, como eu, não conhecia nada além da música mais famosa do cinema da década, eu recomendo. O filme é excelente!
Lembram do amigo da Talita? Pois é, conheci o rapaz. Fomos ao cinema na quinta, assistir ao novo filme do Woody Allen. Calma, calma, não fomos sozinhos. Tinha mais um batalhão de gente, entre meus amigos, amigos da Talita e amigos dele. E o mais curioso de tudo é que realmente temos muitas coisas em comum. Conversando no carro, descobrimos que estudamos no mesmo colégio, mas ele se formou 3 anos antes de mim. Além disso, gostamos do mesmo tipo de música (não pude conter a emoção qdo vi que ele sabia cantar uma das minhas músicas favoritas e que estava tocando no rádio, fazendo um inacreditável comentário ao final: "Puxa, eu adoro essa música!". Pois é, perfeito!
Pena que ele não faz meu tipo.
Ok, andei tão relapsa com o blog que, confesso, fiquei com peso de consciência. Quase uma semana sem escrever é realmente mto desleixo com o pobre e humilde bloguezinho. Enfim. Agora que já terminei de responder o e-mail da Pelagia que estava aqui também há uma semana (sorry, amiga, Stellinha é meio lerdinha mesmo), resolvi postar algumas coisas. Vai ser meio difícil, pq nada de mto emocionante tem acontecido por aqui. Infelizmente. Não fui abduzida, não me apaixonei, ninguém se apaixonou por mim e, bem, meu cachorro só aprendeu a sentar e dar a patinha. Mas vejo o que posso fazer.
Se ajudar em alguma coisa, tenho uma boa justificativa. Estava fazendo zilhões de provas e, bem, tava realmente sem tempo pra sentar no computador em pensar em alguma coisa.
*silêncio*
Ok, foi só uma prova. Mas ainda tenho 2 depois do carnaval, o que somam três. É quase um zilhão!
Esta é um daqueles e-mails que vc sempre recebe e, bom, nunca sabe se é meeeesmo verdade. Enfim, verdadeiro ou não, eu gostei da historinha.

Mensagem original de Waldemar Setzer, professor aposentando da USP.

Há algum tempo recebi um convite de um colega para servir de árbitro na revisão de uma prova.
Tratava-se de avaliar uma questão de física, que recebera nota zero. O aluno contestava tal conceito, alegando que merecia nota máxima pela resposta, a não ser que houvesse uma conspiração do sistema contra ele. Professor e aluno concordaram em submeter o problema a um juiz imparcial, e eu fui o escolhido.
Chegando a sala de meu colega, li a questão da prova, que dizia: "Mostre como pode-se determinar a altura de um edifício bem alto com o auxilio de um barômetro." A resposta do estudante foi a seguinte: "Leve o barômetro ao alto do edifício e amarre uma corda nele; baixe o barômetro ate a calcada e em seguida levante, medindo o comprimento da corda; este comprimento será igual a altura do edifício."
Sem duvida era uma resposta interessante, e de alguma forma correta, pois satisfazia o enunciado. Por instantes vacilei quanto ao veredicto. Recompondo-me rapidamente, disse ao estudante que ele tinha forte razão para ter nota máxima, já que havia respondido a questão completa e corretamente. Entretanto, se ele tirasse nota máxima, estaria caracterizada uma aprovação em um curso de física, mas a resposta não confirmava isso.
Sugeri então que fizesse uma outra tentativa para responder a questão.
Não me surpreendi quando meu colega concordou, mas sim quando o estudante resolveu encarar aquilo que eu imaginei lhe seria um bom desafio. Segundo o acordo, ele teria seis minutos para responder a questão, isto apos ter sido prevenido de que sua resposta deveria mostrar, necessariamente, algum conhecimento de física.
Passados cinco minutos ele não havia escrito nada, apenas olhava pensativamente para o forro da sala. Perguntei-lhe então se desejava desistir, pois eu tinha um compromisso logo em seguida, e não tinha tempo a perder.
Mais surpreso ainda fiquei quando o estudante anunciou que não havia desistido. Na realidade tinha muitas respostas, e estava justamente escolhendo a melhor. Desculpei-me pela interrupção e solicitei que continuasse.
No momento seguinte ele escreveu esta resposta: "Vá ao alto do edifício, incline-se numa ponta do telhado e solte o barômetro, medindo o tempo t de queda desde a largada ate o toque com o solo. Depois, empregando a formula h= (1/2) gt^2 , calcule a altura do edifício."
Perguntei então ao meu colega se ele estava satisfeito com a nova resposta, e se concordava com a minha disposição em conferir praticamente a nota máxima a prova.
Concordou, embora sentisse nele uma expressão de descontentamento, talvez inconformismo.
Ao sair da sala lembrei-me que o estudante havia dito ter outras respostas para o problema. Embora já sem tempo, não resisti a curiosidade e perguntei-lhe quais eram essas respostas.
"Ah!, sim," - disse ele - "ha muitas maneiras de se achar a altura de um edifício com a ajuda de um barômetro."
Perante a minha curiosidade e a já perplexidade de meu colega, o estudante desfilou as seguintes explicações.
"Por exemplo, num belo dia de sol pode-se medir a altura do barômetro e o comprimento de sua sombra projetada no solo, bem como a do edifício. Depois, usando-se uma simples regra de três, determina-se a altura do edifício".
"Um outro método básico de medida, alias bastante simples e direto, e subir as escadas do edifício fazendo marcas na parede, espaçadas da altura do barômetro. Contando o numero de marcas terá a altura do edifício em unidades barométricas".
"Um método mais complexo seria amarrar o barômetro na ponta de uma corda e balança-lo como um pendulo, o que permite a determinação da aceleração da gravidade (g). Repetindo a operação ao nível da rua e no topo do edifício, tem-se dois g's, e a altura do edifício pode, a principio, ser calculada com base nessa diferença.
"Finalmente", - concluiu, - "se não for cobrada uma solução física para o problema, existem outras respostas".
"Por exemplo, pode-se ir ate o edifício e bater a porta do sindico. Quando ele aparecer; diz-se: "Caro Sr. sindico, trago aqui um ótimo barômetro; se o Sr. me disser a altura deste edifício, eu lhe darei o barômetro de presente".
A esta altura, perguntei ao estudante se ele não sabia qual era a resposta 'esperada' para o problema. Ele admitiu que sabia, mas estava tão farto com as tentativas dos professores de controlar o seu raciocínio e cobrar respostas prontas com base em informações mecanicamente arroladas, que ele resolveu contestar aquilo que considerava, principalmente, uma farsa.

"Não basta ensinar ao homem uma especialidade, porque se tornara assim uma maquina utilizável e não uma personalidade. E necessário que adquira um sentimento, um senso pratico daquilo que vale a pena ser empreendido, daquilo que e belo, do que e moralmente correto"
(Albert Einstein)
Lembram do moço que chamou isso aqui de "senhor blog"? Pois é,m agora ele também tem o seu. E que moço apaixonado se revelou esse Victor Hugo!!! :-)
Seja bem vindo, rapaz.
Puxa, obrigada!

quarta-feira, fevereiro 6

Estou gostando desse negocio de enquete... Acho que vou fazer uma pra mim.
Assim que eu tiver dinheiro novamente compro o "Catavento e Girassol" da Leila Pinheiro. Ah, se compro!
Ui, que medo! Ateh o blog da Jackie Miller acabou! Acho que eh um prenuncio do fim dos tempos....
É tão triste descobrir que 90% das pessoas que entram aqui é por engano, procurando por coisas como:
- fotos canapes
- eliana de calcinha
- mulheres fazendo cocô
- fotos gorda
- bob esponja fotos (???)
- site com desenho de carnaval que eu possa copiar
- fotos ilegais sexo.

Ai ai. (*suspiro*)
PS: , vale ressaltar que ele já tinha prometido essa foto havia meses. Mas elas só foram enviadas mesmo alguns dias antes da sua enquete. Alguma relação?? ;-)
A operação desencalhe da Stella está indo de vento em popa. Ontem descobri que um casal de amigos tem um amigo (que, opinão secreta secretíssima da moça do casal, é bonito, simpático, e etc, etc, etc), nas palavras deles, "à procura de uma namorada", e que estavam pensando em me apresentar pro rapaz, sei lá pq acharam que combinamos (como hoje estou me sentindo bela e irresistível, vou dizer que é pq também sou bonita, simpática, e etc, etc, etc). Bom, contanto que não me venham com encontros arranjados, adoraria conhecer o moço. Isso é que é cooperação com os necessitados!
(putz, eu tô péssima hj)
Só um comentário rápido, antes que dêem pela minha falta e venham me buscar pela orelha pra ir almoçar!
Eu tenho que parar de ler seus posts aqui na Universidade, Pelagia. Pq eu fico feito uma tonta rindo sozinha e as pessoas já estão começando a ter a comprovação de que eu sou mesmo meio (?) maluca. Sua enquete sobre a (possível) feiúra do moço está me rendendo boas risadas. Acho que é um assunto de extrema importância e que merece ser discutido. Mas vc ainda não falou sobre as outras opiniões a respeito do assunto. E tenho certeza que recebeu mtos comentários a respeito do seu enquete.
E ele merece a provocação.

segunda-feira, fevereiro 4

Crianças, eu vou explicar de novo, tá? Aqui você NÃO vai encontrar:
- fotos sexo gorda
- cocô sexo (querem parar com essa nojeira fazendo o favor!!!)
- sexo pic
- sexo bizarro mexicano
- carnaval e sexo
- tufão sexo (juro!!)
nem
- lista de como perder calorias fazendo sexo. Isso vc pergunta pro jovem-biomédico-eterno-noivo.

Ô, saco! Isso é um blog família, gente!

domingo, fevereiro 3

E quando cheguei em casa, resolvi começar a ler O grande amor de Abelardo e Heloísa. Singelo assim.
Além de surpresa com tanta canalhice dita em uma só noite, fiquei também muito surpresa com o grau de intimidade que o rapaz estabeleceu em tão pco tempo. Tudo bem, ele estava meio altinho, mas mesmo assim, é estranho. Acho que tenho a capacidade de causar empatia nas pessoas, sei lá. Não é a primeira vez que me acontece. Na primeira aula de uma matéria da educação esse semestre, em um trabalho em dupla, a menina que trabalhou comigo já foi soltando.
- Ah, eu estou mto triste sabe? Terminei meu namoro ontem. É que na verdade eu peguei ele beijando outra menina. Tá certo que a gente não namorava há mto tempo e ele tinha até me pedido um tempo e....
E eu nunca nem tinha visto a moça na vida.
Num almoço na época do colégio, uma colega de classe que eu achava que nem sabia meu nome sentou-se e começou a contar as mágoas do então namorado, que ia com ela à academia pra ficar olhando a bunda das outras meninas malhando.
Agora um rapaz de quem eu nem me lembro o nome (não vou me perdoar por isso. Passei a noite inteira conversando com o cara e não sei o nome dele) me conta todos os podres do seu relacionamento, com quem ficou e deixou de ficar, com quem foi pra cama, que ele fez exame de sangue depois e etc.
Eu devo ser mto simpática. Ou ter cara de confiável (e eu sou mesmo). Ou de psicóloga. Ou os dois.
Ontem fui a uma festa. Sim, saí pra dançar. É uma coisa que eu simplesmente a-do-ro fazer, mas fazia muito (e bota muito nisso) tempo que não saia exclusivamente pra isso. E foi mto divertido. Com histórias hilárias.
Era aniversário de uma colega da Talita, agregada do nosso grupo no final das contas, mto gente boa por sinal. Ela reservou algumas mesas em uma boite, que nem tem cara de boite pela boa ventilação e tipo de público. Na verdade, é uma danceteria de salsa e dessas outras danças que estão na moda hoje em dia. É que a Paula (a aniversariante) faz dança de salão há algum tempo, resolveu nos convidar pra ir lá dançar o merengue com ela. O lugar é excelente, ninguém passa a mão nem se esfrega em vc enquanto dança, as pessoas parecem mto amigáveis, com cara de "estou aqui só pra dançar, não tenha medo". Raro, mto raro.
Enfim. O único porém é que euzinha aqui não danço nadica de nada. Apesar de eu morrer de vontade há bastante tempo de aprender, nunca encontrei par que se habilitasse, e acabou ficando um plano para um futuro distante. E fiquei lá, conversando com uns amigos, olhando pros outros dançarem com certa invejinha. Não encontrei nenhum maluco que aceitasse uns pisões no pé.
Comi empadinha, brigadeiro, bolo, tomei margarita. Qdo voltava do bar, dei de cara com um moço que faz uma matéria comigo 3 vezes por semana e inclusive trabalha comigo também. Mas nunca trocamos mais do que alguns tímidos cumprimentos cordiais. Nada além do que manda a boa educação. Mas assim que me avistou, ele abriu os braços e deu um grande grito:
- Stellinhaaaaaa!!!!!
E me abraçou forte, beijou minha testa. Estranho tamanha intimidade, , me chamar por apelido carinhoso, ele até lembrar meu nome. Eu não me lembro do dele. Então, tímida, respondi:
- Oi, tudo bom?! Que coincidência!
- Pois é, menina. Segunda, quarta, sexta e sexta de novo?
- É que eu tô te perseguindo, sabe?
(eu não tomo jeito.. Faço minhas brincadeiras e me arrependo depois..)
Ele só sorria, com a mão no peito. (dele, é lógico)
- Vc tá aqui com a sua namorada?
É, ele tem uma namorada, que inclusive faz aula com a gente. Ele só mostrou a aliança no dedo, fez sinal de silêncio e disse que isso era "só até daqui a pouco". Ofereci um pco do meu margarita ao que ele respondeu: "Já cheguei aqui bêbado". Tava explicado. Apesar de ele me parecer mto bem, exceto pela intimidade repentina. Trocamos mais algumas palavras, um papo agradável, se quiser me encontrar eu tô naquela mesa, até mais, tchau tchau. Qdo cheguei na mesa, meus amigos caíram em cima. Uma, que inclusive também faz essa mesma matéria com a gente, reconheceu o moço e também achou estranho, perguntou até se éramos mto amigos. E eu nem me lembrava do nome dele.
Algum tempo depois, ele veio na mesa onde eu estava pra conversar. Dessa vez sem a aliança.
- Ué, mas cadê a sua namorada?
- Em casa. Dormindo.
Só um pensamento: "Putz, que cachorro!"
- Verdade?
- É, por isso, para todos os efeitos, vc não me viu aqui. Eu não estava aqui.
Disse claramente que estava lá pra caçar. Comentou como tinham mulheres bonitas por lá, a maioria desacompanhada. "A noite tá pra mim". ("cachorro, cachorro") Conversamos mais um pco, ele disse que voltava depois. O cara tem um bom papo, é charmoso, bonitinho, mas mto cretino. Talvez um bom amigo, mas um péssimo homem. Algum tempo depois, ele agarrado com duas meninas, uma morena alta e uma branquinha baixinha, as duas mto bonitas (é, eu sei reconhecer beleza numa mulher..). Depois que elas foram embora, ele veio me contar os avanços.
- Vc viu aquelas duas garotas com quem eu estava conversando.
- Vi, vi sim.
- Vc viu aquela morenona com quem eu falava?
- Claro, mto bonita ela por sinal.
- Minha ex-namorada.
(Pensamento: "Ihhhh...")
- Mto bonita ela.
- Vc tem noção do que que é aquela morenaça?
- É, não tenho mesmo...
- Pois é, mas é a amiga dela que me interessa. Vc viu?
- A branquinha? Também mto bonita.
- Pois é, ela é amiga da Fulana (a ex), eu já coloquei minhas cartas na mesa, ela foi escorregadia, como toda mulher interessante. Eu já pedi pra Fulana fazer meu filme com ela. Mas se não der certo, eu vou lá pra pista.
- Nossa, fácil assim vc?
- É, se eu beber mais duas cervejas eu fico facinho facinho. A primeira que pegar na mão e me chamar de meu amor me leva.
("Putz, qta canalhice!")
- Mas vem cá, vc não tem medo de que ela descubra?
- Stellinha, eu tô bêbado mas eu tenho noção do que eu tô fazendo.
("e ainda admite!!")
- Mas vc não gosta dela?
- Olha, ela é a pessoa que se eu tivesse uma condição melhor de vida eu não estaria aqui. Estaria casado com ela.
- Puxa, mas se vc gosta tanto dela a ponto de pensar em se casar, o que vc tá fazendo aqui procurando outras?
- Detalhes. Brigas a gente resolve. Grandes diferenças a gente resolve. Mas consertar detalhes é mto difícil.
(Não entendo os homens!)
Mais alguns comentários, confissões, "eu me mantive fiel por 1 ano e 8 meses, mas aí eu fiquei com a Beltrana e de lá pra cá...", abraços, beijinhos no rosto (ô cara que gosta de pegar na gente!), "puxa, vc é mto legal, devíamos conversar mais e...", blá blá blá acidental. Não, ele não estava dando em cima de mim, se é o que vcs estão pensando. Felizmente. Com certeza seria algo de que eu iria me arrepender.
E ele foi lá, à luta (ele acabou não ficando com a branquinha, mas duvido mto que não tenha "pegado" ninguém até o final da noite) e eu fiquei lá, pensando. Como pode?!?

sábado, fevereiro 2

Estou com um big roxo na coxa por conta do meu meiguíssimo e pequeno labrador Nicolau. É que qdo vou brincar com ele ficou meio besta e acho que perco a noção. Fico mais moleca que ele! :)
Talitinha é demais! Ontem, por acaso, começou uma Operação desencalhe da Stella. Qdo estávamos indo pra festa, ela ia me contando, entre risadas, que foi ontem à tarde com um amigo (gatão!!! segundo ela) lá no NDA pra fazer matrícula. Conversando e tal, ela contou que tinha uma amiga que dava monitoria lá. Nesse meio tempo eu liguei pra a gente combinar a carona, ela começou a falar de mim, dizer que eu era legal, "especial" (palavras da Talita, fiquei tão feliz!), meiga e sei lá mais o quê. Ela disse que, a princípio, nem tinha intenção nenhuma de realmente fazer meu filme com o rapaz, mas no meio da conversa com ele, o moço sai com essa:
- Pôxa, me apresenta sua amiga!
Talitinha, estupefata, diz que tudo bem, ela apresenta. Ele pede mais detalhes:
- Mas me diz como ela é.
Ela me contou que nessa hora só pensou "putz, detesto isso!" e disse:
- Olha, qdo a gente chegar lá em casa eu te mostro uma foto dela e vc vê com seus próprios olhos.
Qdo a Talita me contou isso eu pensei: "vixe, já era, o menino deve ter até desistido", mas como a curiosidade era grande eu perguntei.
- E aí? Ele desistiu?
- Que nada, ficou maior empolgado. Vou te apresentar ele depois. Ele é uma gracinha, e como todo menino bonito vai prestar pra Biologia e...
E começou a falar do rapaz. Fiquei surpresa: ele viu minha foto e ainda quer me conhecer???
E não foi só isso. O ponto crucial do interesse foi que, ele lá com mais duas amigas na casa da Talita (antes de ela vir me buscar à noite), meu cd da Ana Carolina em cima do som.
- Pôxa, coloca esse cd, é mto bom.
Qdo ela se deu conta de que cd ele estava falando:
- Ah, esse cd é da Stella, foi ela que me emprestou.
- Então a menina além disso tudo tem bom gosto musical?! Precisa mais de quê então?
Hihihihih. Já ganhei! ;-P
Ai ai! A vida é tãããão bela!!!

Sim, Stellinha está feliz. Novidades? Liguei pro meu chefe (gatão!) hoje de tarde pra perguntar, como quem não quer nada, se eu tinha sido despedida, já que não tinha tido nenhuma notícia de renovação de contrato. Dei uma de João sem braço, querendo saber qdo recomeçava o cursinho, como ia ser dividida a carga horária, se a gente ia ter alguma reunião por esses dias. Ele me explicou direitinho (ainda tenho mais pelo menos 2 semanas de férias!), simpaticíssimo, tudo voltará ao normal dentro de alguns dias, vc receberá um telefonema, ou então e-mail, não, vc não foi despedida. Beijnhos, tchau!
Ufa!! Ainda sou uma moça empregada!!!
Oba! Posso começar a gastar por conta!!! ;-)

sexta-feira, fevereiro 1

Nossa, já é fevereiro. E daqui a 19 dias, Stellinha estará entrando em nova dezena... Altamente traumático isso....
Futuros Amantes
Chico Buarque

Não se afobe, não, que nada é pra já
O amor não tem pressa, ele pode esperar em silêncio
Num fundo de armário, na posta-restante
Milênios, milênios no ar

E quem sabe, então o Rio será alguma cidade submersa
Os escafandristas virão explorar sua casa
Seu quarto, suas coisas, sua alma, desvãos
Sábios em vão tentarão decifrar
O eco de antigas palavras
Fragmentos de cartas, poemas
Mentiras, retratos
Vestígios de estranha civilização
Não se afobe, não, que nada é pra já
Amores serão sempre amáveis
Futuros amantes, quiçá
Se amarão sem saber
Com o amor que eu um dia
Deixei pra você
Ah, Stellinha, não acredito que vc levou a sério? Acaba o noivado não! No fundo, no fundo, o Mordi é normalzinho...Mas elegi ele para minhas brincadeirinhas ultimamente, porque ele anda muito dor de cotovelo. E Não aceito destituir minha Mestra do lugar dela, nananina, xá pro seu lugar!!!

Pelagia, amiga querida. Fiquei impressionada com você, sua capacidade de avaliação, não com o que vc disse dele (mesmo que ele venha a ser assim mesmo). Impressionante sua avaliação psicológica do menino, a busca das minúcias, as especulações fantásticas. Palmas pra Rapa Nui, com direito à bateção em panela (bléim bléim bléim) pra saudar a Sherlock. E acabar noivado? Desistir do meu ogrozinho (hihihi.... qdo ele voltar acho que quem acaba com tudo é ele. Brincadeirinha, amor, já disse que te acho gatão! Quer dizer, não disse, mas enfim...)? Mas nem pensar!!! Já me apaixonei, menina, agora vai ser difícil largar o osso. ;-)

Mil beijos