sexta-feira, novembro 29

Eu vou explicar devagarzinho pra não chocar vcs, ok? Esse humilde bloguezinho subiu no telhado. Aí quando ele chegou lá em cima, alguém o empurrou. Ele caiu, quebrou todas as costelas, o joelho dobrou pra fora, os olhos saltaram das órbitas e suas víceras pularam pra fora, num mar de sangue.

quinta-feira, novembro 28

Blog temporariamente fora do ar enquanto resolvo um pequenino probleminha.
Por enquanto, a sentença recorrente é puta que pariu!!!
Roubado do Desconhecido. Aliás, é a cara dele.


Amar
Drummond

Que pode uma criatura senão,
entre criaturas, amar?

amar e esquecer,
amar e malamar,
amar, desamar, amar?
sempre, e até de olhos vidrados, amar?


Que pode, pergunto, o ser amoroso,
sozinho, em rotação universal, senão
rodar também, e amar?
amar o que o mar traz à praia,
e o que ele sepulta, e o que, na brisa marinha,
é sal, ou precisão de amor, ou simples ânsia?


Amar solenemente as palmas do deserto,
o que é entrega ou adoração expectante,
e amar o inóspito, o áspero,
um vaso sem flor, um chão de ferro,
e o peito inerte, e a rua vista em sonho, e uma ave de rapina.


Este o nosso destino: amor sem conta,
distribuído pelas coisas pérfidas ou nulas,
doação ilimitada a uma completa ingratidão,
e na concha vazia do amor a procura medrosa,
paciente, de mais e mais amor.


Amar a nossa falta mesma de amor, e na secura nossa
amar a água implícita, e o beijo tácito, e a sede infinita.
Momento: modéstia à parte: Já que eu tenho péssima memória (pior do que eu imaginava, pra dizer a verdade), acho que tenho que começar a registrar tudo aqui pra que um dia eu tenha passado. Então, se me permitem, vou propositalmente deixar aflorar meu ladinho obscuro de menina convencida (pq sem querer ele dá as caras de vez em quando) e dizer o que me aconteceu hoje.

Segunda feira terminei meu dia bastante chateada por causa do meu desempenho num dos testes surpresas daquele meu professor carrasco. A questão era explicar um determinado teorema lá em apenas uma sentença. Minha capacidade de síntese já não é das melhores e, às 16h, saí da sala e todo mundo comentava suas respostas. E eu era a única que não tinha falado nada daquilo que eles tinham dito, coisas sobre forças e eletrodinâmica. Eu já tinha até me conformado com o zero bem redondo, pensando em recuperar a nota depois.
Chegando na aula hoje, um menino quis saber do professor qual era a resposta certa do tal teste. O professor pegou o monte de papel, olhou um por um e disse que quem ia dar a resposta do teste era a Stella. Não sei nem como não caí da cadeira na hora, e minha mão tremia que eu nem conseguia segurar a caneta por causa do susto. Daí eu tive que perguntar, né?
- Professor, o senhor tá pedindo pra eu dizer minha resposta pq ela tá certa?
- Não sei.... Vc vai dizer e a gente vai julgar se o que vc disse é verdade ou se vc falou uma grande besteira.
(grande besteira, lógico! esse professor tá afim de me sacanear na frente da turma inteira)
- ...
- Vc foi quem escreveu menos: uma sentença. Com algumas vírgulas, mas foi o menor.
Um menino do outro lado da sala perguntou:
- Mas escreveu certo?
- Espera ela responder, senão não tem emoção. Vamos lá, Stella, explique o teorema de Earnshaw em uma sentença.
Respirei fundo e dei minha singela resposta sobre energia e não sei mais o quê, já esperando a esculhambação depois. Quando eu terminei, uma amiga atrás de mim me cutucou: "Vc escreveu isso mesmo? Caramba, quando eu crescer quero ser igual a vc!" O professor perguntou se todo mundo tinha entendido, a classe me olhava com cara de "cacete, de onde essa menina tirou isso?" e eu fiquei uns 5 minutos sem entender direito como a única resposta diferente (a minha) podia ser a resposta correta. É, eu sou muito foda!!

quarta-feira, novembro 27

Lendo meus próprios arquivos outro dia enquanto procurava um link pra já nem me lembro mais o quê, descobri que já tinha contado pra Talitinha sobre o blog. E eu sinceramente não me lembrava disso, tanto que toda vez que alguém falava perto dela a palavra blog eu mudava de cor. Geralmente branco pálido ou vermelho vergonha. Só não sei dizer exatemente pq eu fiz isso nem se cheguei a dar o endereço pra ela. Acho que não. Nem acho que ela esteja muito interessada nisso. Deve pensar que eu chego aqui e colo letras de músicas e conto como foi meu monótono dia.
...
Opa! É isso mesmo que eu faço!!!
Preciso dar um jeito nessa minha memória...
"O mundo chegou a um determinado ponto que, pra dar jeito, só formatando." - Amigo da Stella

É, sou obrigada a concordar...
Pra não perder o costume:

Momento: como as pessoas chegam aqui por meios bizarros:
- Ana Maria Braga pelada (ah, faça-me o favor!!!)
- lobisomem + adesivos de carro (não, querido, aqui só adesivos de Eu amo minha namorada!)
- metendo gostoso de salto alto (pelo menos não é metendo o salto alto...)
- rapa nui + corelli (sigh...)
- Pollyanna menina + resumo (bah, vai lá e lê o livro, preguiçoso!)
- intimidade no bafômetro (eu que sou muito inocente ou isso simplesmente não faz sentido? Esclarecimentos são bem-vindos)
- Batucada de Bamba (excelente grupo!!!)
- zootecnia bizarro (não seria zoofilia?)
- jem e as hologramas (esse sim sabe o que é bom na vida!)
- galãs mexicanos + nu (ah, vamos combinar que os atores mexicanos são feiosinhos, né?)
- Welder Rodrigues (bom, aqui vc não vai encontrar informação nenhuma, pq o que ele me conta ele não deixa eu publicar. Mas se quiser me mandar um e-mail, eu tenho um monte de historinhas cabulosas! Brincadeirinha, brincadeirinha! São todas confidenciais, lógico!)
Momento: diálogos telefônicos: (foi pela internet, então é telefônico. E priu!)

Amigo-que-lê-o-blog (Aqlob): Oi!
Eu: Aqlob!!! Tudo bem?
Aqlob: Tudo, e a vida, como vai?
Eu: A minha vai bem, só um pouco cansada. E a sua??
Aqlob: Ah, eu to meio "pouco me fudendo pra unb", bem... nem tanto... mas to bem mais relaxado que antes, estudando menos...
Eu: Eu tô estafada, precisando de relax mental, um mês num spa espiritual, não sei..
Aqlob: Ah, dá uns garros no Mac pra relaxar, hahahahaha

Esse é o ponto a que chegamos: esculhambação!!

terça-feira, novembro 26

Momento: bregueira (vcs não precisam ler, é só para fins de registro)

Eu não costumo postar coisinhas assim por aqui não. Mas recebi isso de uma pessoa especial e achei tão... terno.
Bah, sim, estou sensível, e daí???

Quando encontrar alguém

Quando encontrar alguém, e esse alguém fizer seu coração parar de funcionar
por alguns segundos, preste atenção: Pode ser a pessoa mais importante da
sua vida.

Se os olhares se cruzarem e, neste momento, houver o mesmo brilho intenso
entre eles, fique alerta: Pode ser a pessoa que você está esperando desde o
dia em que nasceu.

Se o toque dos lábios for intenso, se o beijo for apaixonante, e os olhos
se encherem d'água neste momento, perceba: Existe algo mágico entre vocês.

Se o primeiro e o último pensamento do seu dia for essa pessoa, se a
vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradeça: Deus te mandou
um presente divino: O Amor.

Se um dia tiverem que pedir perdão um ao outro, por algum motivo, e em
troca receber um abraço, um sorriso, um afago nos cabelos e os gestos
valerem
mais que mil palavras, entregue-se: Vocês foram feitos um pro outro.

Se por algum motivo você estiver triste, se a vida te deu uma rasteira e a
outra pessoa sofrer o seu sofrimento, chorar as suas lágrimas e enxugá-las
com ternura, que coisa maravilhosa: Você poderá contar com ela em qualquer
momento da sua vida.

Se você conseguir, em pensamento, sentir o cheiro da pessoa como se ela
estivesse ali do seu lado...

Se você achar a pessoa maravilhosamente linda, mesmo ela estando de pijamas
velhos, chinelos de dedo e cabelos emaranhados...

Se você não consegue trabalhar direito o dia todo, ansioso pelo encontro
que está marcado para a noite...

Se você não consegue imaginar, de maneira nenhuma, um futuro sem a pessoa
do seu lado...

Se você tiver a certeza que vai ver a outra pessoa envelhecendo e, mesmo
assim, tiver a convicção de que vai continuar sendo louca por ela...
Se você preferir morrer, antes de ver a outra partindo: É o amor que chegou
na sua vida. É uma dádiva.

Muitas pessoas se apaixonam muitas vezes na vida, mas poucas amam ou
encontram um amor verdadeiro. Ou as vezes encontram e, por não prestarem
atenção nesses sinais, deixam o amor passar, sem deixá-lo acontecer
verdadeiramente. É o livre arbítrio.

Por isso preste atenção nos sinais - não deixe que as loucuras do dia-a-dia
o deixem cego para a melhor coisa da vida: O Amor.
Ai ai ai.. Homens...
Deu trabalho (pro Mac), eu já estava prestes a mandar às favas e dizer que viessem ver ao vivo, mas consegui (ele conseguiu, lógico!) achar a fotinho. Pra vcs dois que ficaram implicando por causa da minha mordiscada, isso aí embaixo, ó, é uma ilustração da minha mordiscadinha. Só que a minha é mais bonita.

domingo, novembro 24

Quinta feira eu fui ao Festival de Brasília do Cinema Brasileiro decidida a não passar raiva como da última vez. Arrastei a Cowgirl comigo, já deixando em casa toda a pretensão de assistir o filme, já que saímos daqui depois de a sessão ter começado. Sim, foi só pra sair de casa, ver gente famosa (e outras nem tanto), ver gente diferente e tomar keep cooler (eu não, a Cowgirl, que com um daqueles ficou tontíssima, ela consegue ser mais fraca que eu pra bebida!). Lá, um stand da BrTurbo tirava fotos digitais das pessoas fantasiadas segurando uma placa de "Eu fui, 35º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro" gigante, prometendo mandar por e-mail depois. E, mto importante, de grátis! Como de graça até injeção na testa e adjascências, lá fomos nós. A mocinha do stand me enfiou na cabeça uma peruca vermelha ridícula e um véu preto, enquanto a Cowgirl se fantasiou de Bob Marley orelhudo. Duas bizarrices, nós duas.

... Continua depois.

Tópicos para discussão a posteriori:
- O festival e meus novos 15 minutos de fama.
- Talitinha e o blog!
Hoje eu finalmente tomei vergonha na cara pra atualizar a listinha de Relativísticos aí do lado. Se estiver faltando alguém ou se algum estiver errado, me avisem, por favor, não sou mto boa nisso. Pelo menos reparei duas grandes injustiças, com as fofas da Mel e da Bia, que já deveriam estar linkadas há eras mas é que eu sou enrolada mesmo.
Visitem eles aí, vai? Eles são todos tãããão legais.
Mas volta depois, tá?

quinta-feira, novembro 21

(Originalmente rascunhado ontem sei lá que horas, mas o Blogger ficou de birra!)

Pra essas pessoas que dizem que o mIRC não serve pra nada:

Como fazer um projeto oral de francês em 11 lições
1 - Escolha um tema que vc julga fácil, mas que vc vai descobrir tarde demais que não é não. Música Belga, por exemplo. Pq falar sobre a cerveja belga, por exemplo, vc não pensou. Junto com um tema, vc escolhe um grupo enorme de meninas super enroladas e sem horários livres.
2 - Deixe tudo pra última hora, senão não tem emoção. E quando eu digo última hora, quero dizer 2 horas antes da apresentação.
3 - Descubra que ninguém sabe nada sobre música belga, que ninguém escuta música belga e que vc não tem nenhum cd sobre música belga. E que procurar por "musique + belgique" no Google abre 2379 páginas, nenhuma delas tendo alguma informação que preste.
4 - Agora apele pro seu amigo e velho companheiro mIRC. Tire a poeira de cima, procure um servidor europeu qualquer, um nick sexy e entre no #belgique. Esforce-se, muito, pra colocar em prática tudo que esses 7 anos de francês te ensinaram e puxe papo com todos os belgas que encontrar pelo caminho. Dispense franceses, algerianos, tunisienses, senegaleses e similares. Hoje não é dia de se divertir.
5 - Diga logo que é brasileira. Eles vão se animar rapidinho. Não perca a paciência quando eles começaram a dizer que adoram o samba, o reo (SAP= Rio (o de Janeiro)) e as praias com mulheres de biquini. Confirme tudo que puder sobre as brasileiras serem calientes, bonitas e tudo o mais que eles quiserem saber. Deixe claro que não tem namorado simplesmente pq "o homem brasileiro é muito devagar". É, simples assim e não discute!
6 - Quando eles estiverem prestes a babar, diga que precisa muito da ajuda de um belga simpático. Diga que precisa fazer um trabalho de francês sobre a música belga mas não sabe onde procurar, nem quem são os músicos mais conhecidos.
7 - Conte até 10 quando ele perguntar pq vc não quis falar sobre a cerveja belga.
8 - Abra todas as páginas que ele te indicar, de pessoas que vc não tem a menor idéia de quem são, imprima o que puder, inclusive fotos. Encarregue alguma daquelas meninas enroladas do item 1 de improvisar um cartaz, com os integrantes da banda e uma fotinho mínima. Encarregue outra de mandar o namorado gravar um cd com as músicas e outra de imprimir uma letra de música qualquer, de um cara chamado Salvatore Adamo, que é mais ou menos como o Roberto Carlos belga e muito querido entre os japoneses (!!).
9 - Despeça-se do moço, afinal vc é uma moça educada.
10 - Já na sala de aula, como ninguém teve tempo de preparar nada pra falar, improvise: diga que o projeto oral não é necessariamente só saber falar, mas também saber escutar, e torça pra que o professor engula. Daí, coloque as músicas rolando, invente qualquer coisa sobre o histórico das bandas e faça uma dinâmica de grupo com a turma (inclua o professor, ele vai adorar!) pra ocupar 80% do seu tempo de exposição. Voilá!!!

terça-feira, novembro 19

Engraçado esse horário de verão: são quase 3 horas da madrugada e o blogger acusa 2 horas a menos....
Momento: pra Stella deixar de ser otária:
Eu, no trânsito, 6 horas da tarde, leve engarrafamento, eu cantarolando alguma coisa que nem me lembro o que era que tocava no rádio. Do meu lado direito pára um carro qualquer (juro que não me lembro que carro era, não prestei atenção), com um garboso rapaz todo vestidinho de branco. Sim, o menino era bonitinho. No vidro lateral traseiro um adesivo "Medicina UnB". Eu confesso que músicos e médicos, pra mim, possuem charme inigualável e inacreditável. Mas falo sobre isso outro dia.

Aí o que a Stellinha tapada aqui faz, hein, hein? Lógico, o que TODA mulher faz qdo rapazes bem apessoados e de profissões que compõem seu acervo pessoal de taras profundas param em carros quaisquer ao seu lado: solta o cabelo! O procedimento é mais ou menos o seguinte: vc puxa o retrovisor, se olha no fundo dos olhos, passa a língua nos lábios daquele jeito sexy, dando uma leve mordiscadinha no final, solta os cabelos, dá uma leve mexidinha, continua cantarolando a música e fazendo cara de "oh! não existe mais ninguém aqui" enquanto pensa "Olha pra mim, olha pra mim!".

Como, segundo as leis de Murphy, a fila ao lado sempre anda mais rápido do que a sua, o camaradinha arrancou na minha frente. E grudado no pára-choques dele um adesivo imenso: "Eu amo minha namorada"!. Além de ter namorada e dela ser ciumenta (pq com certeza foi ela quem deu aquilo pra ele), ainda é brega pra caramba!!!!!!
Momento: Diálogos insólitos:
Diálogo no carro, a caminho da casa de uma amiga pra fazer um trabalho de francês:
- Meninas, posso fazer uma pergunta?
- Ihhh... Lá vem a Stella...
- Vcs vão estranhar, mas minha pergunta é pra fins científicos.
- Vixe... Manda.
- Onde é que ficam os motéis dessa cidade?
- ...
- ...
- Cacete, Stella, que diabo de fim científico é esse??????

domingo, novembro 17

Ontem foi o baile de formatura do meu irmão. 8ª série. Um fofo meu irmão de terno e gravata! Não, ele não quis dançar valsa comigo. Eu nem insisti, coitado, ainda lembro como são meninos de 15 anos, se achando homenzinhos. Ai ai, tô ficando velha....
Quinta feira foi dia de Café com Bolo. Não, nada de programa com as velhinhas da igreja. O Café com Bolo é a tradicional festa do CA de Física. Sim, dezenas de machos nerds bêbados caçando mulher desesperadamente. É mais ou menos esse o quadro. Mas é divertido, acreditem.

Primeiro, não tem café. Mto menos bolo. Só bebida, mta bebida. O pessoal da física tem direito a pagar antecipado só uma taxa que vai servir pra comprar a cerveja e outras coisas alcoólicas, podendo beber à vontade durante a festa. O resto do "público" paga o que consome e o dinheiro, dizem, é revertido pro CA. Tô pra me formar e nunca vi nenhuma melhora feita naquela porcaria com dinheiro do Café com Bolo.

A propaganda é feita principalmente boca a boca e com cartazes toscos feitos com recorte e colagem e grudados por toda a universidade. Os meninos têm preferência pelos cursos com mta mulher, então na Arquitetura e na Biologia sempre tem mais cartaz que nos outros lugares. A atração dessa edição era o tal do Bureré do seu Zé, que estava em todos os cartazes. Me ligaram algumas vezes durante a semana pra saber que raio era o tal do bureré, mas eu não tava autorizada a dizer. "Tem que aparecer no C&B pra saber!". Resumindo: o bureré era uma pinga de Formosa, mto ruim por sinal, amarga. A caixa custava 5 reais, se não me engano. Mas o marketing funcionou, tava cheio aquele lugar.

Segundo, é a chance daqueles moleques que te vêem sempre de jeans e tênis te encontrarem de salto alto e decote. O olhar de surpresa é recompensador!!!!!!

quinta-feira, novembro 14

Hmmm....Er...
Oi, tudo bom?
Como nada acontece nessa minha vida monótona de cientista maluca, eu vou puxar saco. Ha-ram. Atenção para o Momento Jabá.

Primeiro de tudo eu queria agradecer às primeiras visitas ilustres e digníssimas da Normal Girl, do Kibe Loco e do Marco. Mesmo que esses dois rapazes tenham aparecido só na hora da bronca, né? Os links já foram devidamente adicionados à tabela de relativísticos e eu espero sinceramente que voltem sempre.

Em segundo lugar quem não tem link: Juliana novamente ressurgiu das cinzas para dar o ar da graça. Apesar de Juliana ser um nome tão comum que eu nem tenho certeza de se essa Ju é a mesma Ju de antes. Se não for: nova Ju, sinta-se bem vinda. Estamos com carência de Julianas por aqui, então vc será mto bem acolhida. Colelas, que tem trauma com taças de vinho! (brincadeirinha, brincadeirinha! Meu Deus, eu nem conheço a criatura e já vou me intrometendo na intimidade dela? Tsc tsc, Stella, feio, mto feio). Dré, que deixou um comentário perdido por aí mas que não passou em branco (viu?!). E o Luiz, que nunca respondeu meu último e-mail, mas pelo menos não desistiu de mim (ainda, né?). Aliás, esse é o momento propício pra perguntar Cadê o Rafael?, que nunca mais apareceu por aqui??

Em terceiro, ao velhos amigos. Especialmente à Deanna, que quando não está ocupada suicidando blogs lembra de dar um pulinho aqui. (brincadeirinha, Anna, vc tem até se mantido estável!). Bom, e claro, a Ana e o Mac, que nunca me desamparam. O Desconhecido só aparece aqui pra me passar sabão, mas ele normalmente é um doce. Meninas, mto cuidado com esse rapaz, ele é um perigo de tão charmoso! (vai, vai, infla ego! Te conheço!)

Aliás, tem um xavequeiro tarado me perseguindo, mas eu sou discreta e não conto quem é. (ai ai ai, hoje ele libera seu lado psicopata e eu perco meu pescoço... brincadeirinha, lindinho, amiga, amiga...).

E por último, mas não menos importante, ao moço eu, que até de palhaça me chamou mas eu admiro seu esforço de colocar reticências nos comentários. Tá valendo, é melhor que nada, né? Vi sua chamada, mas quando liguei vc já tinha viajado. Semana que vem a gente conversa, ok? (o blog é meu, eu faço dele muro de recados se eu quiser, dá licença??)

terça-feira, novembro 12

Tá, tá, tá, desculpa.
Ok, desculpa de novo.
Se eu fizer um post só de desculpas será que melhora minha situação?

Tá, eu sou uma sem coração. Uma desleixada. Uma relapsa. Larguei o pobre do blog jogado às traças
Não, não fui abduzida. Nem fugi com o Mac, nem me embriaguei de vinho verde (nem amarelo, vermelho, azul anil!). Nem passei essas duas semanas fazendo sexo selvagem com dois homens fortes. Nem virei Carmelita dos Pés Descalços. Nem foi golpe de marketing, viu, Luiz! É bem menos emocionante que isso. Eu estive estudando. E muito. E só. Juro.

Mas será que nem o fato de eu ter publicado um monte de uma vez só aliviou minha barra?

sexta-feira, novembro 8

Hoje é um dia histórico: eu consegui estacionar meu carro direitinho de baliza. Não riam, eu sou principiante, não me lembro nem como estacionar de ré e só consigo parar de frente se a vaga for minimamente grande. Ou se não tiverem carros do lado. As duas únicas vezes que eu estraguei o carro foram em estacionamentos: uma na pilastra da garagem do shopping, o que me rendeu um imenso arranhão branco na porta. A outra num carro verde no estacionamento, o que me rendeu um arranhão verde na outra porta. Enfim, depois de mta didática e de usar recursos visuais e pedagógicos, a Cowgirl me ensinou direitinho como fazer. E depois que coloquei o carro na vaga sem causar danos aos carros que estavam em volta nem ao meu próprio, eu gritava feliz ao volante que finalmente tinha conseguido.
Acho que hoje começa um novo momento na minha vida.

Tá, tá, tô exagerando. Dá licença?!
Todo mundo sabe que os físicos são exímios esportistas (de xadrez). Pois ontem fomos assistir ao clássico Física versus Medicina de futebol de campo masculino pelo JiUnB's. O jogo pode ter sido uma droga, mas valeu a pena pelas risadas. Ganhamos, de 1 a 0, embora os meninos tenham pensado que iam dar uma lavada na Medicina pela fama deles como time ruim. Fim de jogo, nosso "técnico" (o Carona) convesando com a comissão técnica, recebendo os elogios, escutou a frase da noite do juiz:
- Meus parabéns pela vitória, mas seu time é mto ruim!!
E o bandeirinha completou:
- É, tava dando dor na vista esse jogo, de tão feio!
Vai fazer conta, vai....
Vcs reclamam que eu sumo mas eu tenho excelentes motivos pra isso. Diálogo na minha aula daquele professor que é mau, muito mau entre o próprio e a Sem-Noção.

(depois do resultado de um problema)
- Entenderam? Felizes?
- Bom, professor, feliz feliz a gente não tá não.
- Ué, pq não?
- A gente não passou ainda, né?
- Ué, mas vc quer passar ou aprender?
- Bom, pra ser sincera eu queria aprender e passar.
- Ah, mas vc também quer tudo!!! Nunca se pode ter tudo na vida, isso é filosofia dessa nossa sociedade capitalista, querer ser bonito, rico, ter carro, passar em tudo....

terça-feira, novembro 5

O desespero tá tão grande, que a Cowgirl sonhou esse final de semana com a prova de Física Matemática, que consistia de um testezinho básico de 47 questões. Uma delas falava de uma caixa com um gás ideal dentro. A caixa era bombardeada por abóboras (!). A superfície ficava laranja e o gás tinha sua energia cinética interna aumentada. A pergunta era justamente de quanto era esse aumento de energia das moléculas. No sonho, ela não sabia resolver. Aí ela saía da sala e vinha até o CA perguntar se alguém sabia a resposta. E uma amiga nossa dava a explicação mais plausivelmente bizarra que eu já escutei: quando a caixa era bombardeada, os fótons com frequência da luz laranja ficavam na parte externa da caixa (!!), por isso ela ficava laranja. Os outros comprimentos de onda eram absorvidos pelo gás e essa energia é que era transferida como energia cinética.
E depois a gente quer convencer os outros de que os físicos não são malucos...

segunda-feira, novembro 4

Não sei pq, mas faz dias que estou com essa música na cabeça. E mais especificamente com toda a encenação musical que os Spirituals de Porco fazem dela. Incluindo o ursinho.
Fiiiiiilme tris-te
Que me fez choraaaaaaar!
uououou
Fiiiiiiiiilme triste...
Eu já disse que gosto de filme iraniano, né? E de muita "porcaria" hollywoodiana também, mas esses dias eu estive em meu momento cult e fui ao Cine Academia (que por sinal agora foi "descoberto" pelo grande público e vc tem que chegar horas antes da sessão pra comprar ingresso e etceteras) assistir "A Cor do Paraíso". E, definitivamente, não me decepcionei. O filme é simplesmente lindo! Na realidade, me surpreendi pq geralmente filmes iranianos são parados e silenciosos e sombrios. Esse, ao contário, é colorido, arejado, lindo lindo. Tá, eu chorei. Eu também não sou lá mto parâmetro de comparação pq me emociono até com comercial de margarina (é, Stellinha é menina sensível!), mas o filme é realmente comovente e muito bonito. Deu pra perceber que eu tô fazendo propaganda? E eu nem recebo nada pelo merchandising, então assistam pq vale à pena.
Hoje eu fui ao teatro assistir As Invejosas, com Ribamar Araújo e Similião Aurélio, dois atores da cidade. Aliás, pausa pra momento Brasília é um ovo: o Similião estudou no CM como eu e se formou junto com a irmã de um super amigo meu da época de colégio, uns 3 anos antes de mim. Da última vez que fui assistir a uma peça dele encontrei com um professor de história daquele tempo que também tinha sido seu professor.
Enfim, em uma só palavra eu posso resumir o espetáculo: fraco. Muito fraco. Saí extremamente frustrada, pq esperava muito mais vindo de atores tão bons, pq eles são realmente muito bons. Eu saí de lá me achando meio burra, pq não é possível que eles tivessem feito algo tão.. fraquinho. Eles certamente queriam me passar alguma mensagem e eu é que não captei. Só pode ter sido isso. Decepcionante.

sábado, novembro 2

E a gente pensa que já viu de tudo. Olha o que esse cara tá vendendo!