quinta-feira, agosto 14

Aê, eu fui, eu fui!
E eu preciso dizer que valeram a pena as noites de espera na fila pra comprar ingressos.
Tá, eu tô mentindo, só cheguei meia hora antes de abrir a bilheteria.
Mas valeu a pena de verdade. O Jogo de Cena especial de aniversário de 18 anos foi o primeiro em que eu gostei de tudo, do começo ao fim. Deve ter sido pq não teve nenhum quadro de dança contemporânea. Nada com massa de modelar, nada com guarda-chuvas e ventiladores, nada de homens com meias femininas na cabeça. Tô achando que é recomendável explicar melhor.

Como eu já disse algumas vezes e o Zamorim já explicou e também tá na página do Jogo de Cena eu não vou me dar ao trabalho de bolar uma nova maneira de dizer pra quem não sabe o que diabos é isso. Vou copiar e colar mesmo. E priu.

O JOGO DE CENA é um “espaço vitrine”, com características experimentais, para ser utilizado pela produção artística e cultural local e apreciado pelo público brasiliense. Ele oferece infra-estrutura básica (espaço cênico, iluminação, sonorização, divulgação) a quem participa e permite a realização simultânea de cenas com técnicas e linguagens diversas. Além disso, a platéia participa através dos jogos propostos pela produção do programa.

Não entendeu nada, né?

Nenhum comentário: