terça-feira, novembro 11

Ok, vamos lá. Eu sumo e quando apareço é só pra contar desgraça. Acho que ninguém mais nem vem aqui, e eu não condeno. De agruras já nos bastam as nossas próprias, eu sei. Mas considerando que ando escrevendo por aqui pra mim mesma, e que blog é (repito) mais barato que terapia...

Eu já disse que não sou muito de chorar, né? Esqueçam. Nos últimos meses tenho me mostrado ser uma ótima chorona. Foi uma avalanche de emoções. Me senti de um tudo: triste, frustrada, desprezada. Me culpei um bocado. Depois passou. Algumas conversas esclareceram um bocado de coisas, tiraram algumas minhocas da minha cabeça, substituindo por outros anelídeos semelhantes. Nada grave.

Passado isso, meu choro agora é mais sortido. Um misto de tristeza e raiva e preocupação um bocado de angústia. Eu quero ajudar mas não sei como. Sabe quando tem pessoas na sua vida que vc ama demais? E sabe quando essas pessoas não estão nada bem? E sabe quando vc não consegue dormir e chora, de preocupação e impotência e angústia? E eu morro de raiva de mim mesma. Pq a cena que me restou foi esta patética de uma criatura chorando em frente a um monitor de computador. Eu queria abraçar, e dizer que vai passar, e dizer que vou estar aqui, e mostrar que me preocupo, mas às vezes nem isso consigo e eu me sinto uma droga de amiga inútil. Eu não acho as palavras certas, eu não sei o que dizer, meu abraço não conforta. Eu não sei o que fazer, pombas!!!

Vou lançar uma campanha um tanto egoísta: Amigos da Stella, ajudem a fazer a Stellinha feliz de novo: fiquem bem, pq ela não tá aguentando mais tanta tristeza junta!!!

Nenhum comentário: