sábado, janeiro 31

Momento: coisas que só acontecem com os meus amigos

Pelo ICQ, hoje, 01:10 da madrugada:

- Stella?
- Oi! Tudo bem?
- Vc é a responsável pelo momento mais comédia dos últimos tempos na minha vida?
- Eu? Pq?
- Vc me mandou uma mensagem? Pelo celular?
- Fale-me mais sobre isso...
(o problema todo começa aí, pq eu não respondi logo que não!)
- hahahahahahaha. O pior é que eu tava no telefone com a minha namorada. Hahahahahaha
(medo...)
- Vamos lá: se eu te disser que não fui eu quem mandei, vc me conta que diabos tinha escrito no raio da mensagem?
- Não minta que é feio!! E vc sabe que não era uma mensagem escrita!
(pensamento da stella: ele provavelmente tá de sacanagem com a minha cara, querendo me deixar curiosa...)
- Era algo obsceno? Pq se era obsceno não fui eu.
- Acho que obsceno não é a palavra mais apropriada pra mensagem...
- ...
- Era na verdade 100% PORNÔ!!
(droga, agora sei que vou receber um monte de visitas por conta dessas duas últimas palavras...)
- Bah, vc tá de sacanagem comigo. Que diabos tinha na msg?
- Vc sabe...
(ô suspensezinho desgraçado...)
- ?, menino, desembucha!!!
- Vc jura por Deus e por tudo que há de mais sagrado na sua vida, vc jura pela nossa amizade e pelo sentimento que eu tenho por você que vc não tem nada a ver com a mensagem?
- Eu não juro por nada não, acredita em mim se quiser.
(eu também sou uma criaturazinha detestável...)
- ...
- O que eu sei é que ou eu estava dormindo e sou sonâmbula ou eu tava mto doida, mas eu NÃO ME LEMBRO de ter mandado mensagem nenhuma pra vc, quanto mais coisas 100% pornô pq vc sabe que eu sou uma menina pudica.
- Fala sério! Foi vc ou não? Eu acho que foi...
- Diz logo o que tem na msg e eu te digo se fui eu ou não. Saco!
- Peraí.

Pelo telefone, hoje, 01:28 da madrugada:

- Stella?
- Que raio de msg é essa, menino?
- Eu tinha que ouvir sua voz.
- Tudo isso era saudade de mim?
- Não, é que..
- Valeu!
- Não, eu também tava com saudades de vc, mas é pq infelizmente pela internet não dá pra sentir a voz das pessoas, nem olhar nos olhos delas. Na verdade, eu queria estar te fazendo essa pergunta olhando nos seus olhos.
- Sobre a mensagem?
- Stella, fala a verdade: foi vc?
- Me diz que raio de msg é essa que eu jã tô é morta de curiosidade.
- Bom, eu tava falando no telefone com a minha namorada e o celular tocou. Aí eu atendi e uma pessoa com uma voz muito parecida com a sua disse "Isso é pra vc" e entrou uma gravação com uma voz... caramba, mto sexy, falando umas coisas...
- Coisas?
- É... coisas...
- Que tipo de coisas?
- Caramba, ali tinha coisa que eu nunca tinha ouvido antes, Stella!
- Desembucha!
- Ela falou um monte, dos meus... órgãos, dos órgãos da pessoa, quente, úmido, e minha namorada no telefone do outro lado, eu fiquei tonto!
- ...
- O mal de ser físico é esse: a gente se acostuma com o pensamento abstrato e tem por hábito visualizar tudo e... putz!...
- E vc achou que era eu? Endoidou, é?
- E aí quando terminou veio uma outra mulher e me perguntou se eu tinha gostado. E eu perguntando quem tinha mandado, e ela não me respondia, só perguntava se eu tinha gostado e quando eu respondi "Tá, gostei, mas quem foi que mandou?" ela desligou na minha cara.
- Que loucura... E o número, de onde era?
- Ah, é de Brasília, mas um prefixo estranho, 631, ou coisa assim. E foi logo antes de eu te encontrar, eu entrei na internet meio atordoado ainda. Agora as perguntas que não querem calar são: quem era a outra pessoa que tava com vc e onde vc arranjou isso, Stella?
- Eu não acredito que vc tá achando mesmo que fui eu..
- Eu não acho não. Eu tenho certeza. Quem era a outra pessoa? Pq não era uma voz conhecida..
- Ah, mas é claro, pq se eu fosse te mandar um negócio desses eu não ia colocar ninguém com uma voz que pudesse ser reconhecida por vc, né? Eu sou esperta..
- Pois é. Quem era?
- Vc ainda acredita que fui eu?
- Fala sério: de onde vc tirou isso?
- Agora, sem brincadeira: vc não tá achando mesmo que fui eu que te mandei isso, né?
- ...
- Tá achando!
- Vc já se entregou!!! Eu sei que foi vc!! Diz: onde vc arranjou isso???
- Vc tinha que ver minha cara boquiaberta agora!
- Vc é que tinha que ver minha cara boquiaberta com a mulher falando aquelas coisas! Tinha nome ali que eu não conhecia!!
- ...
- Vc jura pelo sentimento que eu tenho por você que não foi vc?
- Eu juro pelo amor que eu tenho por você que eu não tenho absolutamente nada a ver com isso.
- ...
- ...
- ...
- Se eu te disser que fui eu te deixaria mais tranquilo?
- ...
- Pq assim vc não ia ficar preocupado e acordado a noite inteira tentando descobrir quem foi.
- Eu quero a verdade.
- Não fui eu. É essa a verdade.
- ...
- Quer que eu minta?
- Quem pode ter sido?
- Vc não tem o número? Liga pra lá e pergunta, ora essa!

Pelo telefone, hoje, 02:58 da madrugada:

- Liguei lá.
- E..?
- Caramba, que noite esquisita...
- Fala logo, de onde era?
- "De coração para coração, telemensagens, boa noite".
- E aí?
- Eu telefonei e disse "oi, é que eu recebi uma mensagem de vcs.." e a mulher me respondeu "ai, coração, vc agora me pegou pelada!"
- hihihihi
- Pô, vc ri, né?
- Prometo que não rio mais. Continua.
- Aí eu disse "como é?" e ela disse "é pq vc sabe, eu durmo nua, né, vida?". A mulher ainda tava me dando idéia, Stella!!
- (eu não tô rindo, eu não tô rindo...)
- Vc tá rindo de novo!
- Tô não! Mas e aí, descobriu quem enviou a mensagem..
- Ah, como eu queria que tivesse sido vc.. Eu nunca quis tanto receber uma mensagem dessas de vc como eu quis hoje..
- Obrigada pela parte que me toca.
- Bom, aí eu disse "eu queria saber quem foi a pessoa que me enviou". E ela começou "mas vc gostou da mensagem, paixão?". E eu fiquei com medo de dizer que sim e desligarem de novo na minha cara, aí eu disse "gostei, mas a senhora podia me informar quem foi que mandou a msg?". "A que horas foi isso?" "Uma e três da manhã." "Qual seu nome, carinho?" Aí eu respondi "Daniel!".
- É um bom nome falso...
- Pois é, aí ela disse que era da Liana, a msg.
- E quem é Liana?
- Eu sei lá quem é Liana, Stella!! Mas a mulher começou a dizer "Pois é, amor, vc sabe que eu tô nua, né, e vc me pegou no meio de uma mudança".
- Mudança?
- Pois é! "Pq eu preciso mudar pra um barraco maior, sabe, meu bem, pq agora eu moro em Imperatriz e..."
- Peraí, vc ficou conversando sobre a mudança com a doida pelada?
- ...

quinta-feira, janeiro 29

Momento: auto-ajuda, pq aqui nós aqui também podemos ser Lair Ribeiro:

18 dicas para se viver bem

Persiga metas possíveis de serem alcançadas.
Sempre sorria espontanea e genuinamente.
Divida com os outros.
Ajude os necessitados.
Mantenha seu espírito jovem.
Se relacione com ricos, pobres, bonitos e feios.
Sob pressão, mantenha-se calmo!
Use seu humor para aliviar o stress.
Perdoe aos que te incomodam.
Tenha alguns amigos em quem confiar.
Coopere e consiga as melhores recompensas.
Valorize cada momento com quem você ama.
Mantenha em alta sua confiança e auto-estima.
Respeite as diferenças.
Vez ou outra, permita-se quebrar as regras.
Surf a Internet por prazer.
Corra riscos calculados.
..E compreenda " Dinheiro não é tudo"


Pois é, ser feliz e viver bem é mesmo moleza, mamão-com-açúcar, facim-facim.

quarta-feira, janeiro 28

Ele - Tava fazendo uma retrospectiva dos meus talentos..
Eu - Ah, é? E quais são suas habilidades? Mas cuidado com a resposta, hein?
Ele - Na música: Eu não toco nada... nem na cabeça dos outros...
Na capoeira, ou eu batia palmas ou cantava. Os dois, pra mim, é impossível.
Num batuque na caixa de fósforo eu não consigo por mais de 5 segundos. Perco o ritmo.
Na arte: Meus desenhos de pauzinhos saem tortos!!!
No futebol... Eu sou chamado pra entrar... E intimado a sair...
No vôlei, na última vez que joguei... Acertei meu saco ao invés da bola (é sério). Fiquei semi-desmaiado por 5 minutos.
No basquete até que eu sou bom... Desde que não tenha que fazer cesta, pq não consigo.
Eu - ...
Ele - Resumindo, eu sou um desastre.
Eu - Hora de cortar os pulsos, talvez?
Ele - Provavelmente..

O pior é que sou igualzinha que nem.
Com a devida licença poética

terça-feira, janeiro 27

Nada, nada bem.
Vai ver é TPM.
Mas dessa vez prometo não sumir por 3 meses.

segunda-feira, janeiro 26





Já repararam como depois de uma certa idade se torna muitíssimo deprimente ser solteira? E eu nem tô falando de nenhuma crise dos trinta não. Eu tenho 21 e já sofro isso na pele.

Todos os programas do mundo são para casais. Os restaurantes são cheios de casais. As refeições são servidas para casais. Os cinemas estão lotados de casais. Os teatros são abarrotados de casais. O parque, a igreja, a internet... Casais, casais, casais. E aí vc tem a péssima sensação de que todo mundo se arranja menos vc. Isso só pode significar uma coisa: vc tem algum problema para relacionamentos.

Ok, mas não se desespere. Quer dizer, vc só tem 21 anos. Mas não deixa de ser estranho. No aniversário dessa amiga minha pedi pelamordedeus pra um amigo (comprometido, vale avisar, inclusive namorado de uma amiga minha que no momento está viajando) me acompanhar. Eu tava me sentindo como a feiosinha de óculos dos filmes americanos que não tem par pra ir ao baile da escola. Eu tava imaginando uma festa cheia de casais, já pressentindo que ia me sentir muito mal se chegasse lá desacompanhada. E, pra minha surpresa, foi isso mesmo! Quer dizer, todos eram super simpáticos, inclusive muitas pessoas que eu já conhecia e cuja companhia é agradabilíssima, mas TODAS elas acompanhadas pelos respectivos pares. Gente planejando casamento, namoros recém-começados, de tudo um pouco. E daí eu pensei: eu tenho um problema com relacionamentos.

Há não muito tempo tava me sentindo muito mal com essa história toda. Como "A bolha", uma espécie de geleca extraterrestre totalmente desprovida de sentimentos. Ok, talvez não fosse nada tão dramático assim, mas tava me sentindo mesmo menos humana devido à minha incapacidade de ter meu mundo perturbado pelos outros e perturbar o universo alheio. Era um pouco de carência misturado com um bocado de baixa auto-estima. Combinação explosiva, né? Daí uma amiga me disse que meu problema era que eu nunca achava que era comigo. Seria capaz de olhar pra trás pra ver quem era a gostosa atrás de mim se percebesse um camarada me encarando. É como se na minha testa estivesse escrito: "estou muito bem sozinha". Como plaquinhas de churrascaria rodízio. Eu estaria com uma grande plaquinha vermelha de "Não, obrigada" pendurada no pescoço.

Daí eu passei da fase depressiva pra de negação. Melhor que entrar em pânico era me convencer de que, afinal de contas, não havia motivo pra desespero. Antes só do que mal acompanhada e etc. Faço um esforço danado pra não me sentir incomodada nos programas de casais. Claro, pq a situação não seria ruim o suficiente se absolutamente todos os meus amigos já não tivessem encontrado sua cara metade. Amores lindos, diga-se de passagem. Inclusive fui no casamento de uma amiga outro dia. Fiquei feliz por ela. Mas nada me tira da cabeça que tenho algum problema com relacionamentos.
Semana passada eu fui no aniversário de uma amiga de infância. É impressionante como certas pessoas têm a capacidade de permanecerem na nossa vida. Eu conheci a Bruna na 1ª série, com 7 anos. Nem éramos assim tão amigas, pertencíamos a um grupinho com mais duas ou três meninas. Bricávamos de Barbie umas na casa das outras, planejávamos pecinhas de teatro, essas coisas. Com a Bruna especificamente a gente gastava rios de dinheiro dos nossos pais compondo músicas por telefone. Pena que eu não tenha a menor idéia de onde elas estejam. Enfim. Estudamos juntas até a 4ª série, quando eu mudei pra um colégio e ela pra outro. E isso fez foi fortalecer nossa amizade. E nem era por conta da convivência. No começo, nos falávamos uma vez por mês. Conforme fomos crescendo, foi ficando mais difícil de manter contato. Mas sempre que a gente conversava era como se absolutamente nada tivesse mudado. Ela sabia tudo da minha vida e eu da dela.

Quando entramos na faculdade as conversas foram ficando cada vez mais esparsas. Uma a cada 6 meses, às vezes até mais. Mas o mesmo carinho na voz e o mesmo abraço super afetuoso quando dávamos a sorte de nos encontrarmos por acaso a caminho do estacionamento. Nos encontramos pouquíssimas vezes nesses últimos 4 anos. E sábado passado foi a primeira festa de aniversário que ela fez na vida. E eu estava lá. E senti o mesmo carinho na voz e abraço afetuoso de 11 anos atrás.
Aí eu fui ver o Tom Cruise, digo, O Último Samurai. Sim, é muito legal. Os Samurais eram o máximo, os americanos são mesmo uns safados, e o Tom Cruise é lindo. Esqueci alguma coisa de relevante?

Tá, tá. Vejamos. Lindas paisagens do Japão, vc sai do cinema com vontade de ir lá visitar. Além disso, roteiro um tanto manjado, mas com um quê original que eu não sei identificar muito bem. Cenas de lutas com espadas incríveis, uma delas inclusive o Tom Cruise disse em uma entrevista que fez sem cortes, numa tomada só, e sem dublê, como ele gosta de dizer que faz. Bonito e tocante. Muito legal mesmo. E agora, esqueci de algo?

(Pausa)

Ah, é: o Tom Cruise é lindo!

(cruzes, momento mais 12 anos esse...)

quarta-feira, janeiro 21

Momento cultural: O correto é sobrancelha, e não sombrancelha. Fala a verdade, vc não poderia continuar vivendo sem esta informação.
Eu vi a Martha Medeiros dizendo hoje na televisão que ser uma contradição ambulante não é ruim. Até me animei.
Momento: confissão relâmpago: Eu fui assistir Todo mundo em pânico 3, na sessão das 17:10. Que espécie de pessoa vai ao cinema às 5 horas da tarde, me digam?

sexta-feira, janeiro 16

Tenho dedicado boa parte do meu tempo inútil de férias a desvendar os mistérios da astrologia. Não, vc não está lendo errado. Nada de quasares ou da missão à marte. Tô falando daquela baboseira mesmo de ver o destino pelos astros ou decifrar a personalidade das pessoas baseando-se simplesmente na soma dos números que formam sua data de aniversário. Resumindo, tô falando de futilidade mesmo. É tudo que eu quero nessas férias: deixar meu cérebro atrofiar por 3 meses e depois, se der, vê-lo pegar no tranco no final de março. Qualquer coisa viro hippie, mas isso já é outra história.

Pois bem, cá estou eu entretida com a influência da posição da lua e dos astros em geral no desenvolvimento da vida de uma pessoa. E, pasmem, não é isso que me intriga mais. Quer dizer, eu até sou capaz de aceitar, depois de bastante esforço, diga-se de passagem, que, sei lá, faça mesmo diferença se o sol estava na quinta casa de urano ou na décima-nona casa de júpiter na hora de seu nascimento. O que eu não consigo entender é pq diabos essas coisas nunca dão certo comigo. E eu até que acho que estou sendo bem razoável. Nem toquei no ponto do horóscopo aqui. Tô falando daquelas análises de personalidade e afins.

No fundo eu morro de inveja dos "sagitarianos convictos" ou dos "piscianos típicos". Conversando com uma colega de trabalho outro dia sobre atitudes em determinadas circunstâncias, ela, leitora assídua e profunda estudiosa do assunto, me perguntou: "Vc é de Virgem, né?". Vcs não imaginam o quanto foi frustrante. "Pq esse é um comportamento típico dos virginianos." Ora bolas, eu sou Aquário. Ou não... Já cheguei até a cogitar a possibilidade de terem errado no meu registro de nascimento e quem sabe eu venha comemorando meu aniversário no dia errado desde então. Já fui confundida com leoninos, capricornianos, até taurinos. Daí tudo bem, vai ver uma das características do meu signo é a capacidade de mimetismo. E ainda tem o lance do ascendente, posição da lua, tarot cigano e runas.

Pois bem.

Ascendente em Peixes
O Seu corpo físico ou a sua personalidade aparente.

Temperamento linfático, de Água. Possui uma tendência artística e sonhadora, um pouco boêmia. A estatura é mediana, ou até mesmo baixa, o corpo mole e carnudo. Tem tendência à retenção de líquidos. O rosto é pálido, de aparência linfática, sem vivacidade e como que adormecido. A testa é alta, e o olhar ausente ou sonhador. Os olhos muitas vezes azuis, são úmidos, saindo ligeiramente da órbita, sem uma grande expressão. (Lembram os olhos dos peixes). O nariz é chato, os cabelos castanhos claros e finos. Os membros são curtos e grossos, lembrando as nadadeiras dos peixes, os ombros são espessos mas arredondados, conferindo um aspecto pouco imponente, especialmente no homem. Muitas vezes a pessoa anda como que se balançando um pouco, como um pato.


Balanço: corpo mole, olhos de peixe morto, nariz chato e andar de pato ninguém merece. E já vou adiantando que, até onde eu saiba, não sou assim não. Daí fui verificar minha personalidade baseada na numerologia do nome. Lá vai:

Seu número de destino é 2

Sensíveis, intuitivos, românticos: assim são os que têm o 2 no nome, e dessas qualidades vem o seu maior encanto. Graças à sua intuição, eles possuem um conhecimento que vai além do aqui e agora, algo entre o mágico e o divino. No dia-a-dia, adoram cooperar e partilhar idéias. Com facilidade em lidar com o próximo, são bons administradores e gostam de ensinar o trabalho aos seus subordinados. No amor, seu romantismo exagerado às vezes os coloca numa posição de expectativa, aguardando a aprovação para seguir adiante. Curtem um amor à moda antiga, com muitas flores, carícias e beijos.


Tava começando a melhorar. Esse pelo menos não me esculhambou. Bom, eu tenho tentado horóscopo cigano, chinês, asteca, cruz de celta, cristais, gnomos, i-ching. O fato é que de um lado me dizem romântica, do outro eu prefiro relacionamentos abertos. Criativa, retraída, sensual, racional, egoísta, charmosa, agressiva. Céus, eu sou uma contradição ambulante.

(Pausa)

Deve ser por isso que nunca acreditei nessas coisas...

quarta-feira, janeiro 14

E eu ontem fui assistir O Albergue Espanhol com dois amigos. Tá, a primeira cena do filme é um homem pelado. Aí vc pensa 'Bom, eu já paguei a entrada mesmo, já tô aqui, fazer o quê?'. Depois fica tudo bem, sendo que o mesmo homem aparece pelado mais duas ou três vezes antes do the end. Eu não sou crítica de cinema nem nada, como vcs já devem ter percebido, mas eu achei o filme muito do legal sim. Não, não pelo cara pelado. Primeiro pela confusão causada inicialmente. Uma narrativa meio cortada, com uns efeitos à lá cinema cult misturado com Dogma 95 te deixam meio sem saber onde diabos aquele troço vai dar. Depois vc se encontra no meio de uma conversa onde as pessoas falam inglês, francês e espanhol ao mesmo tempo. Em algum momento surge um dinamarquês, ou alemão, sei lá. Bem, o resumo da ópera é que o filme é divertido, bem montado, excelente pra entretenimento.

Depois foi o momento da peregrinação. É impressionante que não exista uma pizzaria aberta nessa cidade depois de meia-noite. Rodamos por mais ou menos uma meia hora, quando fomos obrigados pela fome monstruosa a parar no (thanks God it's) Friday's, que acho que só nos atendeu por caridade, pela cara que a moçaa da porta ficou olhando pra única mesa ocupada do restaurante. Ok, a gente não precisava ter morrido naquela grana, dava até para ter ido comer kibe no Beirute, mas a partir de um certo momento virou questão de honra. Imagine se até o Beirute já tivesse baixado as portas?

terça-feira, janeiro 13

Eu tava com saudades de ler sobre a vida de vocês!

segunda-feira, janeiro 12

E já que o assunto é esse, posso expor minha indignação? Ora, é claro que eu posso, o blog é meu!!

Caramba, aquela Beyoncé tem que ter algum defeito!!!!
Ah, e só pra deixar registrado, a brasiliense que vai pro BBB4 não é a Cowgirl. Aliás, é bem mais feia que ela.
Amigo é pra essas coisas.
E nesse meio tempo, Stella, além de chorar, ver os outros chorando e estudar até 5 horas da manhã, que mais vc fez? Ah, Mr. M, eu respondo com um breve Momento: coisas que a Stella fez (e ainda se lembra) nos últimos meses e tem que anotar logo antes que esqueça.

1 - Estudos até 5 horas da manhã podem ser divertidos, acreditem. Especialmente se se está em boa companhia. Mais especialmente ainda se uma dessas companhias tem medo de assombração. Minha casa tem um bocado de coisas de madeira, e de madrugada tudo estala por aqui. Agora pense em um rapaz de quase dois metros de altura e mais de 20 anos na cara com medo de fantasmas? Ok, eu confesso que até que sou bastante impressionável: não dormi direito por uns dois dias depois que vi A Bruxa de Blair no cinema, e nunca tive (nem pretendo ter) coragem de assistir a'O Exorcista. Mas não deixa de ser divertido. Estudo em grupo costuma ser divertido, e até acho que estávamos (os meninos e eu) começando a formar até que uma boa equipe. É minha voz nerd falando mais alto. Próximo.
2 - Meu chefe disse que tenho carisma. E vamos parar por aí que essa lembrança eu adoro! Próximo.
3 - Fui acometida por um arroubo de generosidade e comprei presentes de Natal. Ah, sei lá, depois que o chefe disse que tenho carisma e diante da perspectiva de me manter empregada, tava sobrando um dinheirinho mesmo e eu resolvi deixar a poupança pra viagem à Europa pra depois. Agora, pense em um inferno: era a garagem do shopping na segunda feira, 22 de dezembro. É que não fui a única que deixou as compras pra última hora. Fiquei 40 minutos com o carro parado no mesmo lugar. E por falar em carro parado, próximo.
4 - Meu carro pifou. Duas vezes. Ah, e bati o carro também. Não exatamente nessa ordem, não exatamente tudo junto. Bem, quase. Ok, podem me incluir na estatística que defende a tese de que toda mulher dirige mal. Eu nunca disse que era às no volante mesmo. Próximo.
5 - Aliás, eu devo as chupetas na bateria e a acalmada na moça do Del Rey agredido ao grandão-que-tem-medo-do-além. E por falar em carros em movimento, próximo.
6 - Ana, acredita que uma amiga minha tirou uma foto da freira no fusca laranja?? Assim que conseguir uma cópia dou um jeito de colocar por aqui.
7 - Fui ao Festival de Cinema e ao teatro algumas vezes, assistir peças que sinceramente não me lembro mais. Não que tenha sido ruim, claro, mas é que minha memória nunca foi das melhores e tenho a impressão de que nem ginco biloba resolve. Coisas da vida. Mas falando em programação cultural, próximo.
8 - Simplesmente amor é um filme como poucos dos que eu vi nos últimos tempos. Tã, não é só por causa do Rodrigo Santoro. Juro. A verdade é que é um filme leve, com roteiro romântico, porém não meloso, daqueles que te fazem sair do cinema achando que a vida vale à pena e o amor é lindo.
9 - No mesmo dia do filme, eu descobri que o chocolate quente e o capuccino do Marietta Café vem com uma colher de plástico revestida com chocolate que é um atentado terrorista de tão gostoso. A comparação foi péssima, mas eu não recebo nada pela propaganda.
Psiu..
Ainda tem alguém aí?

Ok, ok, mea culpa, eu sumi mesmo. Desculpa, o pobre do humilde bloguezinho ficou às traças por bem mais tempo do que eu gostaria. Já devem até ter esquecido de mim. Posso me desculpar?

Vamos lá. Eu tava ferrada. Bom, final de semestre já não é moleza. Final de semestre em final de ano ainda é um pouquinho pior. Final de semestre com final de ano e final de curso é caos. Trabalhando um bocado, com um monte de coisas pra fazer que minha procrastinação crônica, segundo Iberê, fez questão de piorar. Isso tudo me rendeu menções excelentes no que realmente importava e a primeira reprovação do meu currículo. É, Stella sempre foi nerd. Nada traumática, diga-se de passagem, mas falo nisso depois.

Tirando a faculdade (ah, já falei que me formei?), ainda tinham os problemas de todo o universo. A aproximação de Marte no meio do ano deu uma boa bagunçada nas coisas por aqui e eu até me orgulho um pouquinho de dizer que dei uma ajudada em segurar rojões em geral. As coisas voltaram ao normal aos poucos e no final quem desabou fui eu. Daí eu resolvi parar de pensar nessas coisas. Quer dizer, até agora.