sábado, setembro 25

Com relação à matéria ''Vestibular: AGU privilegia militares'' (18/9), o termo ''privilégio'' sugere que os militares estão recebendo benefício indevido. Trata-se de medida legal, criada pela Lei 9.536/97, que prevê a garantia de vagas em qualquer época do ano e independentemente da existência de vagas para servidor público federal civil ou militar estudante ou se dependente estudante. Verifica-se que a lei não se aplica exclusivamente aos militares. Além disso, só cabe ao transferido de ofício, por imposição do trabalho, critério que, por si, restringe o acesso a um determinado grupo de pessoas. Não vale para todos os militares, mas tão somente para aqueles submetidos ao regime de transferência ''ex officio''. Também não tem fundamento dizer que a medida pode comprometer a realização de um vestibular, como o da Universidade de Brasília, baseando-se no número de pedidos de transferência recebidos por semestre. Isso porque os universitários que pleiteiam as vagas já começaram os cursos e deverão ser distribuídos ao longo das séries da graduação, conforme currículo já cumprido por eles na instituição de origem. O militar está sujeito a ser transferido em qualquer tempo para as mais remotas regiões do país. Com ele, segue a família. O problema é que muitos militares servem em regiões inóspitas, onde universidades públicas ainda não chegaram e há apenas o ensino privado. Logo, tal medida seria inócua diante da abrangência da questão.
Brigadeiro do Ar Antonio Guilherme Telles Ribeiro, chefe da Comunicação Social da Aeronáutica, para o JB

Ela: Ai, Stella... que horror!! Vc já decidiu se vai esquecer ou lutar?
Eu: Ainda não... Eu acho que não sei lutar, às vezes esse é o problema..
Ela: Lutar é fácil. Com classe e sem fazer papel de ridícula é que eu acho que é impossível.

quinta-feira, setembro 16

Engraçado..

E as pessoas criam correntes pra mandar as pessoas pararem de mandar correntes. É só pra mim que isso soa estranho?

segunda-feira, setembro 13

Uma caneca de leite com Nescau, um chá mate (sem limão, que estava mais gelado), uma água com gás da Schincariol, um copo de capuccino de máquina.

Café da manhã, almoço, lanche da tarde e janta, respectivamente.

E eu nem estou fazendo a dieta dos líquidos!
Cruzes! Às vezes até eu me surpreendo com a minha capacidade de parecer uma velha solteirona rabugenta.

E eu nem sou velha!
Eu deveria estar fazendo contagem regressiva pro aniversário de 3 aninhos dessa coisa que atende pelo nome de blog?

Então tá. Faltam 13 dias.
Disse o poeta , que do amor era descrente
Quase sempre a gente gosta
De quem não gosta da gente..

Meu rádio e meu mulato - Herivelto Martins
Sim, eu estou irreversivelmente meio que apaixonada.

Não, não está sendo nada legal.

sábado, setembro 11

"Você também tem um poder X-Men, só precisa descobrir qual é."

Pois é. Eu tava lá, sentada debaixo do chuveiro, remoendo coisas, maldizendo outras, quando me lembrei dessa teoria de amigo de amigo que me foi apresentada há alguns meses. A história toda é a seguinte: existe algo em vc que além de afetar a sua própria vida, afeta a de outras pessoas e inclusive pode ser motivo pra que vc tenha crises existenciais profundas. Aí, meu amigo, vc está diante de um poder X-Men.

Mas nada dessas coisas legais de invencibilidade, telepatia, telecinesia ou fazer chover. Os poderes X-Men reais são bem mais complexos e difíceis de se identificar. O inventor da teoria, por exemplo, observou um padrão na sua vida: toda pessoa com quem ele ficava começava a namorar um amigo dele. Taí: poder X-men. Tão entendendo como é que funciona a coisa?

Pois bem, eu também tenho um poder X-Men, e fui me dar conta dele hoje, sentada, debaixo do chuveiro. Porque eu estava meio apalermada pra ficar de pé, e cansada, cansada.

terça-feira, setembro 7

Siiim, eu acordei cedo e assiti ao começo do desfile de 07 de setembro.

Ok, foi pela televisão.

Mas a verdade é que eu chorei quando o Vanderlei-Forrest-Gump passou correndo e carregando a bandeira do Brasil.

Calma, Stella. Deve ser a tpm, a tpm...

segunda-feira, setembro 6

E eu queria ir no desfile de 7 de setembro. Mas absolutamente ninguém quer fazer a caridade de encarar esse programa de índio comigo. Belos amigos esses meus...
O blog tá chegando no seu terceiro aniversário e eu estou enfrentando uma espécie de crise de meia idade. Eu não sei o que exatemente está acontecendo comigo: ando sem a menor vontade de escrever. Na verdade, vontade eu até que tenho, mas me faltam idéias. Ok, sendo sincera até que não me faltam idéias, o que me sobra é medo.

Acompanhem o raciocínio. Eu abri a birosca aqui não me lembro muito bem porque. Acho que foi pra ter um lugar pra soltar meus cachorros, chorar minhas mágoas e guardar minhas lembranças. Ele funcionou bem com esse propósito, apesar de ter começado no estilo diarinho nojento, e depois ir ganhando uma forma menos treze-anos e mais com a minha cara (bem, não que eu não seja treze-anos às vezes...). Eu até aprendi HTML por causa dele. Mas o negócio disvirtuou. Como mais cedo ou mais tarde tinha mesmo que acontecer, fui descoberta. E nem foi tão dramático assim, pelo menos não depois de ter passado o susto.

Taí o problema. Eu não posso chegar aqui e dizer que tô apaixonadinha pq é me expor demais. Eu não posso mais xingar até a vigésima geração de um desafeto a torto e a direito. Eu não me sinto bem de dizer que tenho um problema.

Acho que vamos subir no telhado...
E eu só descobri hoje que não era SPAM. É que parecia bom demais pra ser verdade.

Campanha NOVA Beija Eu

Nunca foi tão gostoso ajudar. Na Campanha NOVA Beija eu, uma iniciativa da revista em prol do Hospital Pérola Byington de São Paulo, especializado na saúde da mulher, você troca 1 quilo de alimento não perecível por um beijo de um modelo lindo de morrer!


É simples: nos dias 21, 24 e 25/4, das 10h às 20h, você leva 1 quilo de alimento não perecível* e troca por um beijo daqueles de um modelo bonitão. E se levar 2 quilos? Ganha dois beijos...

A arrecadação dessa gostosa travessura será totalmente doada a dois projetos assistenciais que têm ligação direta com a mulher: o do Hospital Pérola Byington, centro de referência em São Paulo para atendimento de doenças tipicamente femininas, como o câncer ginecológico; e o Programa Bem-Me-Quer, desenvolvido pelo hospital em parceria com a Secretaria do Estado de Segurança Pública para ajudar mulheres vítimas de abuso sexual.

A gente espera você lá para beijar muuuuito!

Casa da Beleza: Av. Brasil, 1802, Jardins, São Paulo, SP. (www.casadabeleza.com.br)

* Com exceção de açúcar e sal .

sexta-feira, setembro 3

Uma criatura que te manda mensagens de madrugada e encerra assim: "Ah, deixa eu fazer uma despedida mais irônica: um beijo molhado e suculento e boa noite" merece morrer, não acham?

O que mata é o tal do "irônica"...

quarta-feira, setembro 1

Eu ensaio, ensaio e não sai nada que preste. Tô pior que os protagonistas de novela da nova Casa dos Artistas. Portanto, enquanto seu lobo não vem, deixa eu tratar das coisas que todo mundo já sabe, mas se eu não registrar me esqueço mesmo.

Eu estava assistindo à maratona, domingo, quando o maluquete de saiote vermelho agarrou o pobre do Vanderlei.



Na verdade, eu tava torcendo horrores. Sim, eu sou esquisita e torço durante uma maratona de mais de 2h de duração, e daí? Mas voltando ao assunto, concentrando meu pensamento positivo, quando surgiu o padre irlandês dos infernos. Minha mãe gritava "Um cara agarrou o Vanderlei!!!" e a primeira coisa que eu pensei foi "Italiano filha #$%&#!!!". Daí, todo mundo sabe o que aconteceu: aquele italiano com cara de viado chegou em primeiro lugar e o Vanderlei era só sorrisos pela conquista do bronze. Meus vizinhos, um casal de velhinhos que acompanharam e torceram por tudo o que houve nas olimpíadas em alto e bom som, diziam, emocionados, quando Vanderlei subiu no pódio:

Isso meu filho, não se abate não. Mostra pra eles que nós somos bons, ruins são eles!

Pois é...