terça-feira, novembro 9

Eu perdi tanto tempo relendo meu próprio blog que não fiz nada do que eu tinha pra fazer. Tô num desânimo sem fim, então essa apatia não é lá grande novidade. A novidade do dia foi outra. Alguém se lembra da Novela da vida real? Da época em que eu era uma pessoa tranquila e feliz que se arrastava pelo chão do minhocão nos sábados à tarde "pra disfaçar"? Se não lembra, é só ir lá em cima e procurar. Aliás, deixa eu falar disso de procurar antes de continuar.

A Lulu já tinha escrito, mas eu ainda não tinha me dado conta da utilidade da barra lá em cima que eu até então achava que só servia pra dar problema no leiáuti. Caso vocês ainda não tenham entendido, tem uma barra cinza lá no topo do blog que foi colocada aí contra a minha vontade. Daí eu fiquei pensando que era um sistema de busca do google, uma coisa chulé qualquer. Na-na-ni-na-não! É um sistema de buscas dentro do próprio blog. Ou seja, vc tá lá querendo saber se eu escrevi aqui sobre sei-lá-o-quê, escreve lá em cima e, pimba!, ele só retorna resultados internos. Não é feitiçaria, é tecnologia!

Então, a novela. Aquela que morreu sem dizer adeus, que não teve direito nem a um final xoxo qualquer de novela das 8, daqueles que te fazem prometer que nunca (nunquinha!!) mais vai assistir novela na vida. Pois bem. Ela sempre, em toda a sua existência, teve leitor ilustre, sabiam? O Professor, matemático e personagem principal, que ao contrário do que possa parecer pelo caráter insólito da história como um todo era gente como a gente e vive até hoje, lia, adorava e só não comentava pq era tímido. Ok, essa última parte eu inventei, mas que ele lia ele lia.

Nenhum comentário: