quarta-feira, maio 31



E o Rio de Janeiro continua lindo. Ah, pois é, desde o dia 14 de março estou morando no Rio. Doutorado. Enfim.

E a cidade maravilhosa não pára de me surpreender. Desde a lojinha que encontrei no centro de bijoux artesanais feitas com coco e semente de açaí vendidas muuuuuito barato (eu parecia uma louca, sem nem saber o que comprar) até as incontáveis mudanças de tempo ao longo de uma mesma semana. Isso sem falar na beleza natural que essa cidade tem e que é de deixar a gente de boca aberta mesmo. Essa mistura de montanha com mar com lagoa, é tudo sempre tão lindo de se ver que a gente fica até meio bobo de lembrar. Tô em lua de mel, eu admito, no começo tudo são flores e só depois é que começa a estragar.

Agora, eu tô querendo saber o telefone do SAC (ou do PROCOM) porque estou me sentindo lesada com a propaganda enganosa. Este é o segundo lugar em número de criaturas mais mal comidas da face da Terra. Só perdem mesmo pras mulheres inglesas, que de tão feia que anda a coisa disseram que preferem fazer faxina a sexo (tá duvidando?). É a única explicação que eu encontro pra tanto mal humor e falta de educação que tenho encontrado nas minhas andanças por aqui. Outro dia mesmo, usei o meu simpático "com licença, o senhor poderia me dar uma informação?" acompanhado de um sorriso pro moço da companhia de ônibus e recebi um estupidíssimo "bom dia, primeiro, né?". Dá pra acreditar? Entre outras caras feias, má-criações e indelicadezas que andei recebendo.

A Pelagia disse que também foi super mal tratada em Salvador, terra com fama de povo sorridente e despreocupado. Quem vê o carioca na Marquês de Sapucaí rindo da vida não imagina a porcentagem da população que dorme de calça jeans nessa cidade. Conclusão: esse povo tá gastando toda a simpatia no carnaval. Te contar, viu?

Em tempo: Claro que não estou generalizando. Aqui, como em todo lugar, tem gente simpática e sexualmente realizada.

Nenhum comentário: