quarta-feira, janeiro 30

Pois é...

Ai ai ai...

terça-feira, janeiro 22

sexta-feira, janeiro 11

Aconteceu de verdade. Porque nem sempre eu penso antes de dizer. Com duas cervejas eu penso menos. Então já viu. É que eu me lamento. Por ser uma retardada social e não saber lidar com meninos. Nem com meninas, mas tudo bem, elas que se fodam. Mas a questão é que eu acho que as pessoas tem obrigação, sabe, OBRIGAÇÃO, de fazer algo por mim. Não as pessoas em geral, assim, anívelde serumano. Mas as caléga, us amigu, esse povo que te dá presente de Natal, entende? Que deixam recado no seu orkut? Essas são as pessoas que devem me salvar. De alguma forma. Eu acho curioso ver às vezes uma mulherada reclamando que os amigos vivem tentando arranjar pretendentes, das mães que querem que elas conhecam o fulano, filho da Lurdinha, ele é adêvogado. Porque, veja bem, isso aqui não acontece. Nem minha mãe acredita no meu potencial. Daí era uma mesa de bar, uma conversa amena sobre eu ser a eterna solteira (hello?!) e eu, muito ferida, "Mas é porque parece que você não me acha boa o suficiente pros seus amigos". E isso foi suficiente. Pra começar uma guerra. Porque veja bem, parece mesmo. Mas eu não precisava ter dito. Porque ele se ofendeu, verdadeiramente.