segunda-feira, fevereiro 23

sábado, fevereiro 21

"(...)
Poucas sensações na vida são tão boas como conhecer alguém que te encanta logo de cara ou aos poucos. Sabe quando você conversa com uma pessoa e pensa que ela é única no mundo? O normal não é isso acontecer todos os dias. Se acontecer, provavelmente, você está com sérios problemas. Ao persistirem os sintomas, o psicólogo deverá ser consultado! Simpatizar, achar legal, engraçado, interessante, lindo, sexy, inteligente, charmoso, fofo e perfeito ainda não é encantamento. Encantamento é uma coisa estranha, meio sem nexo, instintiva, inconsciente... Também não é só uma atração louca, é uma conexão mais profunda e mais difícil de acontecer. E por isso é tão bom quando acontece! O amor começa com o encantamento e, muitas vezes, acaba pelo desencanto. Então, pra que pular partes?
(...)"

Daqui.

quinta-feira, fevereiro 19

Eu leio muitos blogs ainda. Acompanho mesmo. E de tempos em tempos vem aquela vontade louca de voltar a escrever. De deixar registrado o que me acontece, o que eu penso, gravar em algum lugar quem sou eu naquele momento. Hoje, um pouquinho angustiada com o inferno astral, veio novamente esse desejo. Reli uns posts antigos, fiquei andando pra trás na timeline do meu facebook, achando tudo nostálgico e, bem,... bom.

Entrei aqui pra terminar de curtir a nostalgia. E, entre os posts falando de pessoas que nem desconfio quem sejam, contando histórias enigmáticas de situações que nem lembro se vivi mesmo, tem posts iniciados e nunca terminados. Coisa de 20 rascunhos que ficaram perdidos ao longo dos anos: uma história sobre um engano telefônico que não lembro mais como termina, uma história de um paletó emprestado que era pra virar desculpa pra um novo encontro e nunca serão, uma história de alguém que fez alguma coisa algum dia que eu não faço ideia pra que lado vai. E a vontade de escrever foi ficando maior ainda.

Em parte, confesso, porque gosto de ler o que escrevo. Nem é que me acho a Clarice Lispector dos blogs, claro que não. Mas quando volto lá em 2001 (pois é...) e os assuntos são superficiais e o clima é bem diarinho, percebo que a Stella de 19 anos era aquela pessoa mesmo. E, nem posso dizer que não, achei ela bem interessante, até em meio a posts de "tive um dia super corrido, tomei café e fui a um show" e "que lindos esses comentários, obrigada brasil". Tem crônicas do amigo oculto do natal, do primeiro encontro depois do fim com o ex, historinhas sobre filmes que vi, peças de teatro, trechos de música cheios de significado. Um passeio sobre quem eu era ao longo desses 14 anos.

Hoje é meu aniversário de 33. Passou o retorno de Saturno, o retrógrado de Mercúrio, a crise dos 30, o fim do doutorado. Hoje eu sou professora em uma faculdade, gosto do que faço mas estou sempre insegura com o futuro, mantenho mais ou menos os mesmos amigos, tô meio apaixonada mas não muito e talvez amanhã não esteja, ganhei 20 kg e perdi 10kg, achei minha sensualidade, cortei e pintei o cabelo, tenho mais senso de estilo. E hoje eu estou com uma vontade louca de voltar a escrever.